Torcida de Gazini declara guerra psicológica contra Júlia Horta no Instagram e baixa o nível a três semanas do Miss Universo


De onde vem tanta apelação?

Da redaçãoTV em Análise

Fotos Reprodução/Instagram/Gazini Updates e Noel Celis/AFP/Getty Images/30.03.2018


As grosserias da torcida da candidata filipina ao título de Miss Universo 2019, Gazini Ganados, 23, passaram dos limites no Instagram. Passaram a comprar seguidores para ultrapassar os da brasileira Júlia Horta, 25. Operam uma manobra suja, de baixíssimo nível, que não conta impulsionamentos por WhatsApp e outras mídias sociais. Tentam o penta do Miss Universo parta as Filipinas da maneira mais suja, sórdida, asquerosa e baixa possível.
O sadismo da torcida de Gazini está na tentativa de explorar os defeitos da #torcidajúliahorta, a qual veem como pátifaria. Doentes por concursos de misses, os filipinos esquecem investimentos em esportes, tanto é que está em 137º lugar no ranking da FIFA. Desprezam o futebol a segundo plano. Em contrapartida, ocopa a 31ª colocação no ranking da FIBA, a associação internacional de basquete, como logado de ter organizado a Copa do Mundo Masculina da modalidade, em 1978.
As Filipinas de Gazini que tanto cultuam misses são as mesmas que fazem circuncisão em massa de crianças na pré-adolescência e se permitem ao extremo do autoflagelamento na Sexta-Feira da Paixão, com pregos nas mãos, num dos rituais mais horrorosos do catolicismo. As Filipinas de Gazini são as do justiceiro Rodrigo Duterte, que defende o extermínio em massa de dependentes químicos como parte de sua política de “segurança pública”. Qualquer semelhança com Auschwitzel, Rio de Janeiro, é mera coincidência, exceto trocando-se milicianos de Rio das Pedras por terroristas do Abu Sayyaf.
As Minas Gerais de Júlia Horta são as da Canção da América de Milton Nascimento e Fernando Brandt. São as Minas de outras oito misses Brasil, incluindo Stäel Abelha, que iniciou em Caratinga o percurso que passou por Mariana, Ipatinga, Manhumirim, Contagem, Ubá, Belo Horizonte e Divinópolis, até chegar a Juiz de Fora. Milimetricamente, Júlia tem 415.351 seguidores ante 416.359 da filipina. Trata-se uma vantagem que pode ser revertida nos próximos dias, com base na lisura e no jogo limpo.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Mondo cane, Nossas Venezuelas, Outras Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s