Equipe da Band para o Miss Brasil 2020 ainda não começou a trabalhar e Hazzy permanece em Porto Alegre como repórter


Trabalhos da Equipe Águia estão parados

Da redação TV em Análise

Instagram/Evandro Hazzy
O irresponsável está fazendo isso sim é matéria para o Band Cidade


Promessa para segurar os concursos de misses na Rede Bandeirantes a partir de 2020, a “Equipe Águia” ainda não saiu do papel, um mês depois das promessas iniciais feitas pelo missólogo gaúcho Evandro Hazzy, 49. Formada por ora apenas pela diretora comercial Patrícia Régia, a estrutura de promoção do Miss Brasil como empresa engatinha a passos lerdos, isso levando-se em conta que Júlia Horta vai concorrer no Miss Universo 2019 daqui a 27 dias, em Atlanta, com mais 92 candidatas.
Hazzy está em Porto Alegre produzindo matérias para o telejornal noturno da Band local, além de gravar às quartas-feiras um programa dominical de entrevistas, também de veiculação local, chamado A-Hazzy para Maiores. Entre 1998 e 2011, Hazzy foi coordenador do Miss Rio Grande do Sul, nomeado pela Gaeta, que promovia o Miss Brasil, primeiro para a RBS-TV (afiliada da Rede Globo) e depois para a Band. Já na Band, logo após o Miss Universo 2011, Hazzy foi transferido para São Paulo, para ser diretor de produção do Miss Brasil já sob a jurisdição da extinta Enter, empresa de eventos designada pela Miss Universe Organization para representar os interesses do Miss Universo no país. Com a venda dos ativos do Miss Brasil para a Polishop, em 2015, Hazzy voltou para Porto Alegre sem função alguma no meio miss para a Band, que o rebaixou a repórter e apresentador, sem nenhum poder de decisão sobre os concursos.
A captação de recursos para a viabilização do pacote do Miss Brasil 2020 e dos concursos estaduais ainda está na fase inicial, segundo a assessoria da Band, que informou que ficará responsável pela transmissão de todos os eventos. Concursos estaduais importantes como Miss São Paulo, Miss Rio de Janeiro, Miss Rio Grande do Sul, Miss Amazonas e Miss Minas Gerais estão na alça de mira da rede para serem televisionados. O restante deverá ter exibição apenas nas redes sociais das afiliadas ou das coordenações locais.
A Band se recusou a dar maiores detalhes sobre o que tá sendo trabalhado nos Estados para o Miss Brasil 2020. A partir do próximo ano, os concursos estaduais passam a operar sob a bandeira Sonho de Miss. O primeiro deles será o de Roraima, em fevereiro. Nomes chave de ex-misses como os de Carla Godinho, Deise Nunes, Flávia Cavalcante, Leila Schuster, Natália Guimarães e Renata Bessa ainda estão em fase de negociação.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s