Evandro Hazzy traz de volta para o concurso Miss Brasil velhas práticas de corrupção em coordenações estaduais do Nordeste


Retorno de Márcio Mattos ao Miss Alagoas é um mau sinal do que vem por aí

Da redação TV em Análise

Instagram/Evandro Hazzy


O quadro de coordenações estaduais do Miss Brasil começou a ser montado na velha base para a temporada de 2020. Para começar, o Miss Alagoas não contará mais com os bons serviços de Maria Fernanda Schiavo. Vai voltar às mãos de Márcio Mattos, da turma da Gaeta, que em 2015, enfrentou acusações gravíssimas de assédio. Para Evandro Hazzy, o movimento #MeToo adiantou de quê? Sua primeira escolha para as coordenações estaduais se mostrou um completo equívoco num país que tenta se afirmar como potência no Miss Universo e em outros concursos internacionais de beleza feminina.
O retrocesso notado na coordenação alagoana deve se estender a outras regiões do país, menos aquelas mais fiéis ao Miss Brasil/Miss Universo há bastante tempo. É um sinal grave de preocupação do que virá por aí: concursos regados a manipulação, compra de jurados, cooptação de jornalistas, inscrição de candidatas fora da idade exigida. Esse é o risco que a “Equipe Águia” deve enfrentar, para não ter a reputação manchada.
Entre as aspirantes a misses, o temor de que surja um Roger Abdelmassih dos concursos de beleza é grande. Ainda mais depois da veiculação da minissérie Assédio pela Rede Globo, baseada nas histórias reais das vítimas do “médico das estrelas”, preso em Tremembé, cumprindo 181 anos de prisão em regime fechado por crimes sexuais. O Brasil, que tenta acabar com uma seca de 51 anos no Miss Universo não merece isso.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Ética nos concursos de beleza, Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Poderes ocultos, Podres poderes, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s