Assunto da semana: A tropa de choque de Hazzy em formação


Projeto do Miss Brasil 2020 ainda está na fase embrionária

Lenara Petenuzzo/Soup News/29.07.2019


Três meses após a retirada de um patrocinador, a Rede Bandeirantes começou as costuras para dar nova forma e conteúdo às próximas edições do Miss Brasil. Desde 2003, o concurso saiu da velharia de asilo e se sintonizou com a padronização do Miss Universo de forma gradativa. A entrada da Polishop, em 2016, após ter salvado o concurso de 2015, foi decisiva para a abolição de velhos costumes do concurso. Desfiles de trajes típicos e coroação da vencedora em maiô e manto foram definitivamente abolidos. O romantismo acabou, se é que Evandro Hazzy saiba.
Em pleno século 21, para continuar na televisão, o Miss Brasil não pode mais continuar com essas velharias. A própria Band está ciente do que quer que se apresente ao mercado publicitário. Na semana passada, Hazzy iniciou seu périplo de montar a equipe ideal para dar ao Miss Brasil uma estrutura de empresa, tal qual acontece no Miss Venezuela e na própria organização do Miss Universo. O que a mídia e os colunistas escondem é que a captação de patrocinadores para o Miss Brasil 2020 já começou. Embora a passos lentos, a etapa nacional do Miss Universo toma forma.
Da cabeça de Evandro Hazzy pode sair muita coisa, inclusive receita de farofa de chimarrão ao ventilador direcionado às cabeças da casta de comentaristas inúteis de programas de fofocas, que nada tem a acrescentar. São parvos que só semeiam desinformação, em nome de pontos perdidos de audiência e verbas federais de propaganda recheadas de fake news e mentiras bolsonaristas. Quando aparecem, esses idiotas vão falar é na época do Miss Universo, sem saber do que (e de quem) estão tratando. O melhor pacote anticrime para essa gente é voltar para a alfabetização.
Em tempos de redes sociais, Hazzy sabe da importância do movimento do Miss Brasil, dos concursos estaduais e dos concursos municipais. Trata-se de uma responsabilidade enorme, a começar da esquadra de ex-misses já reportadas. A lista é enorme para ser reportada aqui, mas por si só já denota o peso que o pacote do Miss Brasil/Miss Universo passará a ter a partir do próximo ano. De 27 concursos estaduais, a Band está apta a transmitir 24 deles, dentro de suas possibilidades. Frescura, mimimi e burocracia ao invés de ajudar, atrapalha. Bom sábado a todos.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado  (19/10)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Eventos, Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s