Assunto da semana: A seguir, as cenas dos próximos capítulos


O penduricalho gravíssimo para a realização do Miss Universo 2019

Lillian Suwanrumpha/AFP/Getty Images/17.12.2018


Cá estamos em outubro e o silêncio ensurdecedor da Miss Universe Organization sobre a realização da 68ª edição do concurso de Miss Universo preocupa até mesmo as emissoras internacionais que estão pagando pelos seus direitos de transmissão. A negligência da empresa Endeavor com o assunto passou de todos os limites. É preocupante vermos candidatas favoritas de missólogos como a brasileira Júlia Horta, 25, jogadas nesse pandareco. Júlia, aliás, toca a organização de eventos beneficentes em sua cidade, Juiz de Fora, enquanto a novela se desenrola.
A indignação com a paralisia da definição da data e da cidade-sede do Miss Universo 2019 não é exclusividade brasileira. Em maior escala, a raiva com a MUO atinge até mesmo potências como Colômbia, Filipinas e Venezuela, que gastam um absurdo para prepararem suas candidatas. Suas campanhas de defesa do título estão paradas enquanto a Endeavor e a rede de televisão FOX não acertam os ponteiros em relação a definição de data, para acomodação em horário nobre americano. O medo é que indo a sede para a África do Sul ou Israel, jogue-se esse esforço fora.
Na esteira do cabo de guerra, o apresentador do certame, Steve Harvey, 62, fica na dele. Continua a gravar seu Family Feud como se nada estivesse acontecendo. Sabe que poderá ser acionado pela MUO. Antes que eu dissesse “a qualquer momento”, porque esse “a qualquer momento” está mais com cara de que esse anúncio fatalmente vai acabar sendo feito no meio de novembro. Na pior das hipóteses, o que a MUO quer é empurrar o Miss Universo 2019 para março de 2020, depois do Super Bowl, do Oscar e do Carnaval. Querem é mais tempo ao tempo.
O ambiente atual de decisão sobre a realização do Miss Universo 2019, neste momento, se iguala ao verificado há quatro anos, pouco depois de a Endeavor ter comprado a MUO do então pré-candidato republicano à Presidência americana, Donald Trump, 73. A diferença é que agora a Endeavor está consolidada na organização do Miss Universo. A preocupação da dona do concurso é mais com Bolsa de Valores do que com a organização de um concurso de beleza. Basta ver o que aconteceu com a dona das farnácias Big Ben: faliu. E ai, Endeavor? Bom sábado a todos.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado (5/10)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Concursos de beleza, Eventos, Jóia da coroa, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s