Brasil tem mais de 800 emissoras de televisão 69 anos depois da primeira transmissão feita por Assis Chateaubriand em SP


Então parte de Goiás, Tocantins foi último Estado a ter sua emissora, em 1976

Da redação TV em Análise

Arquivo Fundação Assis Chateaubriand/18.09.1950


Quase sete décadas depois de Assis Chateaubriand (1892-1968) ter inaugurado a pioneira TV Difusora de São Paulo, então no canal 3, a televisão já estava integrada definitivamente à vida dos brasileiros quando a Assembleia Nacional Constituinte sacramentou a criação do Estado de Tocantins. A então porção norte de Goiás, isolada de outras regiões do país e só beneficiada pela rodovia Belém-Brasília, passou a ter rosto. Tinha desde dezembro de 1976 uma afiliada da Rede Globo, instalada na cidade de Araguaína, pertencente à Organização Jaime Câmara.
A chegada da televisão à região do Bico do Papagaio selou um importante capítulo para que a integração nacional prometida pelos militares ganhasse um novo rosto após a redemocratização. Antes disso, a divisão do Mato Grosso, em 1977, fez a Rede Mato-grossense de Televisão preparar Campo Grande e Cuiabá para serem capitais de um novo capítulo da comunicação brasileira. Arranjos políticos deram cara a um Brasil que tentava ter visibilidade. Os rostos do Pantanal e dos babaçuais começavam a ter contornos. O Brasil na TV da canção de Chico Buarque tinha sua identidade revelada.

Reprodução/TV Anhanguera Araguaína
Torre da primeira TV do Tocantins, após sua inauguração, em 1976

Em 1975, ocorrera uma tentativa fracassada de fazer a televisão chegar ao que hoje é Tocantins. Instalaram-se antenas em Wanderlândia e Gurupi para que programações geradas no Maranhão chegassem a essa região. A investida do grupo do empresário goiano Jaime Cãmara (1909-1989) fez com que Araguaína fosse a bola da vez para a televisão chegar ao futuro Estado. Na Constituinte, outras redes como Manchete, Band e SBT receberam concessões na farra dos cinco anos de mandato para o então presidente José Sarney para drenar o norte goiano de televisão e abrir terreno para o futuro. Enquanto Palmas era construída, mesmo após sua fundação, em 20 de março de 1989, as geradoras afiliadas das redes nacionais do eixo Rio-São Paulo eram instaladas ora em Araguaína, ora em Gurupi, portas de entrada da televisão tocantinense.

Desde 1950, o Brasil viu um aumento considerável na quantidade de emissoras de televisão instaladas ou concedidas. Da semente inicial plantada por Chatô, o país conta, de acordo com a Anatel, com 824 emissoras de televisão aberta nos 26 Estados e no Distrito Federal. Brasília recebeu suas primeiras três emissoras quando foi fundada, em 21 de abril de 1960. Hoje tem 11 emissoras concedidas em operação. Uma linha do tempo da chegada da televisão em cada Estado brasileiro está elencada no mapa abaixo

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em História e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s