Presença do concurso Miss Universo na televisão dos Estados Unidos começou há 60 anos com transmissão regional para CA


Último concurso realizado em Long Beach serviu de teste para a transmissão nacional que a CBS começaria no ano seguinte para ganhar depois o mundo

Da redação TV em Análise

Miss Universe Organization/Divulgação/Arquivo
Linda Bement, Miss Universo de 1960, na capa do programa do concurso de 1961


Há exatos 60 anos, em 24 de julho de 1959, ocorria a primeira transmissão de TV do concurso de Miss Universo. Realizado no Auditório Municipal de Long Beach, na Califórnia, o concurso estava em sua oitava edição e viu o número de candidatas despencar um pouco em relação a 1958 – de 36 para 34 candidatas. A tarefa coube à uma emissora local, a KTTV, hoje integrante da rede própria de emissoras da FOX, casa do Miss Universo desde 2015 e do Miss USA desde 2016.
Embora o Miss Universo já tivesse repercussão internacional através de jornais, revistas e agências de notícias, o concurso tinha na televisão a janela que faltava para ampliar a exposição de patrocinadores. Marcas de cosméticos e de maiôs eram as maiores interessadas nesse empuxe midiático. À época, a transmissão do Miss Universo 1959 ficou restrita ao mercado de Los Angeles, mas serviu de teste para a transmissão nacional que a CBS tocaria por 43 anos consecutivos, de 1960 a 2002, ao sabor de suas trocas de donos.
A mudança do comando do Miss Universo de Long Beach para Miami Beach (região metropolitana de Miami) só ajudou a projetar ainda mais o concurso na costa leste americana, mercado ávido por exposição e onde ficam as sedes das grandes redes de televisão aberta. A transmissão do concurso de 1960 pela CBS fez aumentar o número de candidatas – de 34 para 43. Desde então, o horário da costa leste americana tem servido de padrão para as gerações internacionais do Miss Universo. Em 1970, o concurso começou a ser transmitido via satélite e em cores para vários países. O Brasil passou a acompanhar o Miss Universo ao vivo na TV a partir de 24 de julho de 1971.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em História, Mídia regional, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s