Assunto da semana: O Kominsky que existe em cada indicado


Humor negro e método nas indicações cômicas masculinas do 71º Emmy

Michael Yarish/Netflix/Divulgação/16.11.2018


Sem recorrer à defecação verbal do miliciano geral da República em Parnaíba, os seis indicados ao 71º Primetime Emmy na categoria de melhor ator em série cômica trazem nos trabalhos de competição coisas que vão de humor negro (sem querer ser racista) a método. Humor negro nada tem a ver com Black Monday de Don Cheadle, 54, ex-House of Lies, da mesma Showtime. A Black Monday de Cheadle nada tem a ver com comércio, Walmart e afins. Tem a ver isso sim com a quebradeira das bolsas internacionais de 19 de outubro de 1987.
Sem relação a Black Monday, Michael Douglas, 74, vem para sua sexta indicação ao Oscar do horário nobre americano, a primeira depois de seis anos. Com The Kominsky Method, desenvolvida por Chuck Lorre para a Netflix, tenta repetir o carreamento de premiações já recebidas na mid-season de janeiro. A conta pega a trinca do Golden Globe, Critics Choice e SAG Awards. Em tese, tem tudo para levar. De vitória, só a do telefilme Behind the Candelabra. O resto se guarda para as expectativas a cerca de seus outros quatro concorrentes na disputa.
Do resto do escopo, Bill Hader, 41, de Barry, tem nas mãos o fardo de ter vencido no ano passado. Isso não quer dizer nada em relação ao cenário apresentado. Antes disso, tinha uma estatueta de programa de animação, em 2009, por South Park. Coisa menor se comparadas às outras 18 indicações recebidas na última década, inclusive quatro pelo Saturday Night Live, onde foi revelado. Na quinta indicação por Black-ish como ator principal de comédia, Anthony Anderson, 49. entra apenas para cumprir tabela. Não tabela de basquete ou do Brasileirinho.
Na 17ª indicação ao Primetime Emmy, Ted Danson, 71, entra pela segunda vez seguida por sua atuação apagada em The Good Place. Não vou comentar série de repercussão alguma que não passe por aqui. De duas vitórias por Cheers em 1990 e 1993, Danson é desses artistas que entram no rol de indicados apenas porque a Academia de Televisão tem-lhe alguma estima – ver a época de Damages. Esquecido pelo Primetime Emmy há 36 anos, o canadense Eugene Levy, 72, vem para sua primeira indicação como ator. É um roteirista que mostra a cara. Bom sábado a todos.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado (17/8)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Atuação, Coluna da Semana, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s