Assunto da semana: As últimas chances de Daenerys e Claire


As contas da disputa feminina do 71º Emmy de atuação dramática

Fotos HBO e Netflix/Divulgação


Entre sete mulheres, duas estreiam na raia de indicadas do Primetime Emmy de atriz em série dramática. A mais jovem é Jodie Comer, 26, de Killing Eve. A mais velha é Laura Linney, 55, de Ozark. A outra estreante de indicações da 71ª edição do Oscar do horário nobre americano é Mandy Moore, 35, na faixa de idade do enredo de This is Us (Thirty-Six, na época do piloto apresentado à NBC no início de 2016). Embora Sandra Oh, 48, tenha a maior carga de indicações (10, sendo a segunda de atriz principal pela mesma Killing Eve), não quer dizer nada.
Aos 53 anos e com o peso de oito indicações por House of Cards, Robin Wright encerra a série com o fardo de tampar os buracos causados pela demissão de Kevin Spacey, 60, na esteira gay do movimento #MeToo (até homem com homem, pasmem!). É difícil denotar chance alguma de Wright pegar a estatueta agora. Haverão outras oportunidades e deve-se ter calma com essa senhora. E falando em velha senhora, Linney tem na atuação de Ozark um mero cartão de visitas. Trata-se de um curriculum vitae preenchido a mata-borrão pela ruindade geográfica da trama.
Segunda atriz mais velha entre as indicadas, Viola Davis, 53, de How to Get Away with Murder, não tem o mesmo apelo de 2015, quanto seu discurso de empoderamento tocou a esquerda angustiada pelo processo de impeachment de Dilma Rousseff que a cambada de camisa da Seleção vergava nas passeatas da avenida Paulista financiadas pela Fiesp e pela Rede Globo, casa que exibe a trama com tradução deturpada para Lições de um Crime (que a Dilma não cometeu). Não vejo chances a não ser pela credencial do Oscar pelas Cercas que a Paramount aboliu em 2017.
Associadíssima a Grey’s Anatomy, Oh tenta seu primeiro Emmy pela detetive de Killing Eve (que não tem nada a ver com a Eva do Pecado Original da Bíblia). Para esta edição, também tem as indicações técnicas na ficha de apresentadora do 76º Golden Globe Awards e de uma participação como atriz convidada do Saturday Night Live. Trata-se de uma dissociação difícil. Em relação à inglesa Emilia Clarke, 32, as chances de vencer como atriz principal do enterro de Game of Thrones são maiores. Tem na carga três indicações de coadjuvante. Até sábado.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado (3/8)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s