Bangladesh e Irã devem enviar candidatas para a 68ª edição do concurso de Miss Universo, marcada para janeiro nas Filipinas


Os dois países irão estrear no concurso

Da redação TV em Análise

Fotos Divulgação
Golshan, uma das 10 candidatas ao Miss Universo Irã 2019 e o logo do Miss Universo Bangladesh


Com a tradição de 12 títulos já conquistados por Filipinas, Índia, Israel, Japão e Líbano, a Ásia ganha para a 68ª edição do concurso de Miss Universo o reforço de mais dois países. Bangladesh e Irã confirmaram suas estreias no concurso. Para fugir das sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos, os organizadores da etapa iraniana decidiram montar escritório em Istambul (Turquia), onde vai acontecer o concurso nacional, marcado para a quarta-feira (31). Os ingressos já estão esgotados. 10 candidatas disputarão o título inédito de Miss Universo Irã. Para denotar que o concurso é mesmo do Irã, a seletiva de candidatas ocorreu em Teerã.
Já em Bangladesh, a fase de inscrições começou no final da tarde da segunda-feira (22). A previsão é de que o concurso nacional, a ser televisionado, ocorra em outubro. Bangladesh já tentou estrear no Miss Universo em 2008, mas não havia à época estrutura suficiente sequer para organizar o concurso nacional. O Vietnã, que já participava desde 2004, teve preferência para sediar o concurso e por tabela retornar à disputa desde 2005.
Com a chegada de Bangladesh e Irã, o número de países filiados à Miss Universe Organization sobe de 105 para 107. Já o de países que terão candidatas confirmadas com base nas datas já marcadas dos concursos nacionais sobe de 73 para 78 (82,97% do contingente de 94 candidatas usado no Miss Universo 2018, em Bangcoc). O total de países que irão efetivamente participar do Miss Universo 2019 só será conhecido antes do último concurso nacional, previsto para dezembro. A 68ª edição do Miss Universo está sendo trabalhada para acontecer na manhã do dia 27 de janeiro (noite de 26 de janeiro, pelo horário de Brasília), na Mall of Asia Arena, em Manila.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Outras Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s