Assunto da semana: Os dramas que o Miss Brasil já enfrenta


Concursos de misses viraram uma novela sem solução

Miss Brasil Be Emotion/Divulgação


Maio está acabando e a novela Miss Brasil Be Emotion parece ganhar contornos mais dramáticos para 2020 do que um final feliz propriamente dito. A trava contratual da Band em relação ao assunto impede que a mídia fale mais sobre o assunto. E se Júlia Horta vencer o Miss Universo no final do ano e nada tiver sido decidido nem mesmo em relação aos concursos dos Estados, mesmo os mais importantes, como o Rio Grande do Sul? O Brasil vai virar piada pronta mais uma vez já não bastassem as bravatas bélicas dos decretos do desgoverno Bolsonaro?
Há um ano, se estava no clima da eleição da amazonense Mayra Dias como Miss Brasil 2018. Agora, a comunidade missológica brasileira entre na mais profunda depressão desde que o país começou a participar do Miss Universo, em 1954. Martha Rocha e suas polegadas a mais viraram marcha de carnaval e Steve Harvey virou motivo de piada seis gerações de misses depois, com memes e tudo que o valha. Fácil é reescrever É dos Carecas Que Elas Gostam Mais para aumentar o alcance da chacota, de Dwayne Johnson a Esperidião Amin, passando pelo ovo.
Em plena comédia de erros de planejamento de uma nova era para o Miss Brasil e pontuação de mudança de sua gestão para a Globo, Júlia colhe na sua horta os frutos dos seguidores do Instagram, enquanto se desenha um enredo macabro de humor negro dos irmãos Joel e Ethan Coen para a sombra dos laranjais do Queiroz que contamina o ambiente político de quem patrocina o Miss Brasil válido pelo Miss Universo em nome do lucro e não de um projeto de potência missológica. Estamos pagando o preço de um jejum de 51 anos sem títulos. A coisa é grave.
Nas Geraes de Horta, a preparação de Júlia para o Miss Universo é tratada com o mais duro silêncio, mais ensurdecedor que os versos de Fernando Gabeira, jornalista e apresentador da GloboNews, canal pago que faz parte da tropa de choque anti-bolsonarista. Enquanto cada último minuto é desprezado pela Miss Brasil 2019 na sua preparação para o Miss Universo com idas e vindas a programas de segunda mão, mais de 50 coordenações nacionais preparam-lhe uma arapuca, acelerando preparações de candidatas e marcando datas de certames. Bom sábado a todos.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado (25/5)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s