Globo e IMG podem tirar da Band os direitos do Miss Brasil já a partir de 2020 em meio à novela de negociação com a Polishop


Emissora da famíglia Marinho teria oferecido R$ 15 milhões para assumir concurso

Da redação TV em Análise

Miss Universe Organization/Divulgação/26.11.2017


O concurso de Miss Brasil que credencia para o Miss Universo pode mudar de mãos já a partir do próximo ano. Fontes de mercado asseguraram ao TV em Análise Críticas que a Rede Globo de Televisão teria oferecido R$ 15 milhões à IMG Worldwide para tirar da Rede Bandeirantes os direitos do Miss Universo no Brasil, bem como do concurso nacional e de seus concursos estaduais e municipais. A investida da Globo ocorre em meio a um impasse nas negociações entre a Band e a Polishop nas negociações para a renovação do acordo de naming rights do Miss Brasil, que está na emissora desde 2003. A Polishop é parceira do Miss Brasil desde 2015.
Em março, o CEO da Polishop, João Appolinário disse à Agência Folha ter gasto R$ 35 milhões com a realização do Miss Brasil desde novembro de 2015, ainda na era da Enter. Só com o Miss Brasil 2019, realizado no dia 9 de março, em São Paulo, Appolinário disse ter gasto entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões com a realização do concurso nacional e dos concursos estaduais e municipais. No entanto, muitas coordenações procuraram o Críticas e disseram jamais ter recebido qualquer quantia da Band ou da Polishop.
A favor da Globo pesa a presença de emissoras nas 27 capitais do país, coisa que a Band não tem e nem nunca teve nos 17 anos que organizou e transmitiu o Miss Brasil. A emissora prometeu à IMG cobrir qualquer oferta que venha da Band ou da Polishop para manter a concessão do Miss Universo no Brasil sob os seus domínios. De forma direta, a Band detém a concessão do Miss Universo para o Brasil desde dezembro de 2010, pouco depois da assinatura de contrato para a organização da 60ª edição do Miss Universo, em 12 de setembro de 2011, no Citibank Hall, em São Paulo. A Globo prometeu pagar R$ 15 milhões à IMG para tirar o Miss Brasil e o Miss Universo das mãos da Band.
Ao site F5, Appolinário disse que tentará fazer a parte dele para manter o Miss Brasil na Band, mas a sanha financeira da Globo, que já detém o monopólio das Copas do Mundo da FIFA, das Olimpíadas e do Carnaval de R$ 240 milhões do Crivella, sem falar no do verbo e da verba para derrubar o presidente Jair Bolsonaro, parecerá falar mais alto. A Globo já é parceira da IMG nas transmissões do MMA do UFC e do Lollapalooza Brasil. A Miss Brasil 2019, Júlia Horta, 25, eleita ainda sob o domínio da Band/Polishop, esteve na edição recente do festival de música, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.
Grupos de afiliadas como InterTV, EPTV, RBS, NSC, Rede Mirante, Rede Matogrossense de Televisão, RPC TV, Rede Amazônica e Rede Bahia já estariam se movimentando para assumir as operações dos concursos municipais ou regionais nas áreas de abrangência. Na década de 1990, a Globo pagara US$ 15 milhões (R$ 59,1 milhões, em valores atualizados) à emissora de então do Miss Universo, a CBS, para impedir que os brasileiros assistissem ao concurso ou tivessem qualquer acesso a informações do certame.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Força da Grana, Globelezação, Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Globo e IMG podem tirar da Band os direitos do Miss Brasil já a partir de 2020 em meio à novela de negociação com a Polishop

  1. Pingback: Para impedir avanço da Globo, Band tenta manter o Miss Brasil a partir de 2020 com parceria direta com dona do Miss Universo | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s