80% das unidades da Federação com um único título de Miss Brasil conseguiram classificação no Miss Universo desde 1982


A exceção é o Distrito Federal

Da redação TV em Análise

Arquivo Nacional de Cingapura/10.05.1987


Quatro das cinco unidades da Federação que tem um único título de Miss Brasil conquistado entre os anos de 1982 e 2017 obtiveram classificações no Miss Universo. A constatação é de um levantamento do TV em Análise Críticas. A exceção é o Distrito Federal, que não conseguiu ter sua candidata eleita Miss Brasil classificada entre as 10 semifinalistas do concurso, em Cingapura, em 1987.
Mato Grosso do Sul, Pará, Piauí e Tocantins claddificaram suas candidatas no período citado. A primeira classificação foi da paraense Celice Marques, que ficou entre as 12 semifinalistas, em Lima, no dia 26 de julho de 1982. A mais recente desse grupo foi da piauiense Monalysa Alcântara, que passou para a fase de 10 semifinalistas em traje de gala, no dia 26 de novembro de 2017. Entre uma e outra, os critérios de classificação do Miss Universo mudaram. Na época da vigência do sistema 10-6-3, apenas a sul-mato-grossense Michella Marchi se classificou em Honolulu, no dia 12 de maio de 1998.
Duas das candidatas desse grupo nasceram fora das unidades pelas quais disputaram. Jacqueline Meirelles, eleita Miss Brasil 1987 pelo Distrito Federal, nasceu em Cuiabá. Gislaine Ferreira, vencedora do Miss Brasil 2003 por Tocantins, nasceu em Belo Horizonte. As demais nasceram nos Estados pelos quais competiram. Destas, apenas Marchi nasceu fora da capital de seu Estado – ela é natural de Dourados.
Desde a adoção do sistema de cortes, em 1990, Gislaine e Mona foram as únicas misses do grupo de um só título a passarem para a fase seguinte. As duas ficaram entre as 10 semifinalistas – uma, na fase de trajes de banho, e a outra, na fase de trajes de gala.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Datamisses, Nossas Venezuelas, Numb3rs, Projetos especiais e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s