Em entrevista de rádio, empresário filipino diz que a Coreia do Sul deverá sediar a 68ª edição do concurso de Miss Universo


Chavit Singson diz que restam apenas as negocoações com o governo de Moon Jae-in

Da redação TV em Análise

Getty Images


Mal Catriona Gray, 24, foi eleita Miss Universo 2018 e os filipinos já começam a articular a sede da próxima edição do concurso, prevista para 15 de dezembro de 2019. Em uma entrevista à rádio DZMM na manhã da quarta-feira (19), o empresário Chavit Singson, 77, dono da LCS Group, disse que a 68ª edição do concurso deverá ser realizada na Coreia do Sul. O país recebeu o concurso uma única vez, na manhã de 8 de julho de 1980 (noite de 7 de julho, pelo horário de Brasilia).
Chavit disse já ter acertado os patrocinadores para a realização do certame no país que recebeu a Olimpíada de Inverno em fevereiro último. A única trava agora está nas negociações com o governo do presidente Moon Jae-in, 65. Meios de comunicação filipinos especulam que as negociações se dariam em troca da inclusão de uma candidata da Coreia do Norte, comunista. A do Sul, capitalista, é apoiada pelos Estados Unidos e está no Miss Universo desde 1954, sob a faixa de Coreia (Korea, em inglês), com pausa em 1956.
Em 66 participações no concurso, a Coreia do Sul teve oito classificações, o que equivale a um aproveitamento de 12,12%. A melhor classificação do país ocorreu em 24 de maio de 1988, em Taipé, quando Jang Yoon-jeong, 48, ficou na segunda colocação, atrás da tailandesa Porntip Najhirunkanok, 50, que integrou o Comitê de Seleção que elegeu Catriona na manhã da segunda-feira (17), na IMPACT Arena, em Bangcoc. A Coreia do Sul está sem classificação no Miss Universo desde que Lee Ha-nui, 35, ficou na quarta colocação na Cidade do México, em 28 de maio de 2007.
Na mesma entrevista, Chavit informou que Catriona não ficará nas Filipinas para as festividades de Natal e Ano Novo. A vencedora do Miss Universo 2018 já embarcou para Nova York, onde vai assumir suas obrigações com a Miss Universe Organizxation. Uma grande carreata em sua homenagem já está sendo organizada para ocorrer entre o final de janeiro e o início de fevereiro, nas ruas de Manila e cidades metropolitanas.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s