Catriona Gray faz Filipinas conquistar o tetra no Miss Universo


País desbanca Suécia em títulos

Da redação TV em Análise

Lillian Suwanrumpha/AFP/Getty Images


A eleição de Catriona Gray 24, como Miss Universo 2018 na manhã da segunda-feira (17), na IMPACT Arena, na zona norte de Bangcoc, fez as Filipinas desbancarem a Suécia em número de títulos nas 67 edições do concurso de Miss Universo desde sua criação, em 1952. Com Cat, o país tem agora quatro títulos contra três da Suécia, que não vence o concurso desde 1984. Com isso, as Filipinas passam a ser a maior potência do Miss Universo na ásia em termos de títulos. De classificações, é outra história.
Com a arena de Bangcoc empesteada de bandeiras filipinas, Catriona tinha ambiente a seu favor já desde o desembarque, no final de novembro. Amplas campanhas de mídia foram feitas. A candidatura de Catriona ao Miss Universo 2018 já tinha ganho força meses antes do Binibining Pilipinas 2018, em abril, onde conquistou a vaga para a 67ª edição do Miss Universo. Mesmo quando o país perdeu o direito de sediá-la, Catriona sempre esteve no coração dos filipinos. Chegou a 1 milhão de seguidores em sua conta de Instagram horas antes do início da final televisionada. Cat já tinha esse calibre desde que ficou em quinto lugar no Miss Mundo 2017, realizado em dezembro do ano passado, na China.
Nascida em Cairns, no Estado de Queensland (nordeste da Austrália), Catriona Elisa Gray cresceu na cidade antes de sua família se mudar para Manila. Na capital filipina, fez trabalhos de modelo e cantora. Participou de obras de caridade antes de ingressar no ramo dos concursos de beleza. Não abandonou o amor ao próximo mesmo perseguindo títulos importantes. Tal qual Michelle McLean (1992) e Natalie Glebova (2005), Bangcoc foi música para os olhos de Catriona, filha de pai australiano e mãe filipina.
Um porta-voz do presidente Rodrigo Duterte, 73, parabenizou Catriona pelo tetracampeonato filipino no Miss Universo. “O triunfo da srta. Gray estimula o empoderamento de mais mulheres filipinas para acreditarem em si mesmas e lutar por seus nlugares no universo. Nós saudamos e admitimos sua vitória”, informou o site Rappler. Pia Wurtzbach, eleita Miss Universo em 20 de dezembro de 2015 após a trapaça do apresentador Steve Harvey, 61, também parabenizou Catriona pelo título.
Antes de Pia e Catriona nascerem, as Filipinas já tinham vencido o Miss Universo em outras duas oportunidades. A primeira delas foi em 19 de julho de 1969, na 18ª edição do certame, em Miami Beach, com Gloria Díaz. Em 21 de julho de 1973 Margarita Morán venceu a 22ª edição do Miss Universo, realizada ao ar livre no Odeon de Herodes, em Atenas.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Personalidades, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s