Para atender a demanda de 96 candidatas, Miss Universo vai trabalhar com palco maior que o de 2005, diz Paula Shugart


Em 13 anos, número de competidoras cresceu 18,51% nas edições sediadas em Bangcoc

Da redação TV em Análise

TPN 2018 Co. Ltd./Divulgação/29.10.2018


A presidenta da Miss Universe Organization, Paula Shugart, admitiu na entrevista coletiva de apresentação da 67ª edição do concurso de Miss Universo, realizada na madrugada da segunda-feira (29), no hotel Dusit Thani, em Bangcoc, que a produção do palco da final televisionada do concurso, a ser realizada daqui a 44 dias, deverá ser mais complexa e, ao mesmo temo, inovadora. Complexa porque terá de lidar com uma capacidade maio de candidatas. Na vez anterior que o Miss Universo ocorreu na Impact Artena, na manhã de 31 de maio de 2005, se construiu uma estrutura para abrigar até 80 candidatas, mais os apresentadores.
Com a perspectiva de se ter 96 candidatas, Shugart já estuda aumentar um pouco o recuo do palco, não apenas para facilitar os desfiles das candidatas nas mais diversas etapas, mas principalmente, para que a estrutura a ser montada no início de dezembro suporte o peso de tantas mulheres bonitas concorrendo ao título, que está nas mãos da sul-africana Demi-Leigh Nel-Peters, 23. Parte da IMG dfesde 14 de setembro de 2015, a MUO promete, nas palavras de Shugart aos jornalistas tailandeses, “a maior produção já feita na história do concurso (desde que passou a ser televisionado anualmente, em 1960, em Miami Beach)”.
No intervalo de 13 anos da última vez que Bangcoc sediou o Miss Universo, o número de candidatas do concurso cresceu 18,51%. Entre 1992 (primeira oportunidade em que Bangcoc recebeu o Miss Universo) e 2005, o crescimento de candidatas foi de apenas 3,84%. Além disso, o concurso trocou duas vezes de dono em 26 anos, desde a realização da 41ª edição do Miss Universo, na manhã do sábado, 8 de maio de 1992, no Centro de Convenções Rainha Sirikit, situado a 26,5 km ao sul da Impact Arena, inaugurada em 1997.
Os detalhes do palco do Miss Universo 2018 estão sendo mantidos sob sigilo pema MUO pe pela TPC 2018, empresa que organiza o concurso na Tailândia. O certame será distribuído pela IMG Worldwide para emissoras de 170 países e territórios em 33 diomas.
Devido à construção do palco gigantesco, a capacidade da Impact Arena para o Miss Universo 2018 vai cair de 11 mil para entre 8.000 e 9.500 espectadores sentados.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s