Assunto da semana: Indicações aos 70º Primetime Emmys – 7


A lagoa salada de realities e variedades do 70º Emmy

BBC One/HBO/Divulgação


A dois finais de semana da premiação principal e levando em conta o que tivemos de fazer para comportar pautas extraclasse (sede do Miss Universo 2018 e VMA), fica claro que o que temos de falar do 70º Primetime Emmy deve se circunscrever agora ao básico nas áreas de reality de competição, série de esquetes e série de entrevistas. Não a dos vices dos presidenciáveis na GloboNews, mas títulos como Late Show with Stephen Colbert, The Late Late Show with James Corden e assemelhados. Este é apenas o primeiro ingrediente da gororoba a se produzir.
No campo de realities de competição, The Voice se resume àquele álbum do Legião Urbana de 1998, lançado após a morte de Renato Russo (Manfredini Júnior, dito, 1960-1996). É mais do mesmo. É a mesma coisa que vender em Roma o cafezinho do Blake Shelton na porta da Segafredo e numa máquina de Nespresso vendida pelo George Clooney. Não adianta discutir uma vitória lógica e certa. Para que existe Project Runway? American Ninja Warrior? RuPaul Drag’s Race? Top Chef? The Amazing Race? Mera lavagem de louças para cumprir tabela.
Série de esquetes é um campo altamente difícil de se comentar. A grande maioria dos indicados sequer passa nos nossos canais pagos e serviços de streaming. A exceção é Drunk History, do Comedy Central. Da temporada recente do Saturday Night Live nada posso falar. Dos programas de Amy Sedaris e Sarah Silverman, a mesma coisa. Idem para Tracey Ullman. Portlandia é a mesma coisa. O canal que exibe esta série, o Sundance, não está na minha operadora de TV por assinatura. No mais, nada terei a declarar de apostas para este segmento.
E por que eu uso lagoa salada e não lagoa salgada no título do texto? Lagoa Salada é tradução para o português de Laguna Salada, cidade de origem da candidata dominicana ao Miss Universo 2018, Aldy Bernard, 23. A lagoa salada de indicados ao Primetime Emmy nessas três categorias reflete a falta de renovação, exceto nos programas de esquetes, notada nas redes abertas e canais pagos norte-americanos. Para série de esquetes, o número de submissões cresceu tanto a ponto de Inside Amy Schumer não caber nesse escopo competitivo. Bom sábado a todos.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado (8/9)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Premiações, Reality-shows, Séries, Variedades e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s