Artistas fazem ataques a Sérgio Moro e pedem a liberdade de Lula no 46º Festival de Cinema Latino-Americano de Gramado


Candidato petista ao Planalto e favorito nas pesquisas está encarcerado há 142 dias na PF de Curitiba

Da redação TV em Análise

Reprodução/YouTube


A noite final da 46ª edição do Festival de Cinema Latino-Americano de Gramado (102 km ao norte de Porto Alegre), realizada neste sábado (25), no Palácio dos Festivais, foi marcada por discursos cobrando solução para os assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e de seu motorista, Anderson Gomes, e pela libertação do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), 72, candidato registrado à Presidência da República, preso há 142 dias na Superintendência da Polícia Federal no Estado do Paraná, por causa de um triplex no Guarujá que não é de sua propriedade. No seu discurso de aceitação pelo prêmio de melhor ator, pelo filme 10 Segundos para Vencer, Osmar Prado, 71, chegou a ser vaiado por alguns espectadores antes de comparar a cela de Lula a uma masmorra da Idade Média.
Sob aplausos, Osmar começou a parte final de seu discurso “pelo pronto restabelecimento do Estado democrático de direito neste país”. “Abaixo as conduções coercitivas, as torturas psicológicas e delações premiadas e a injusta prisão do presidente Lula”, disse o ator da Rede Globo, antes das vaias. E completou: “injustamente trancafiado na masmorra de Curitiba pelo juiz Sérgio Moro”, responsável pela 13ª Vara Federal Criminal da capital paranaense. A condenação de Lula foi confirmada em janeiro pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado na capital gaúcha e ratificada em abril pelo Supremo Tribunal Federal, acerca de decisão tomada em segunda instância. Os advogados do petista tentam todas as estratégias possíveis para a manutenção de sua candidatura e assegurar sua presença no horário eleitoral gratuito, que começa para os presidenciáveis no sábado, 1º de setembro.
Na mesma premiação, o cineasta Otto Guerra, 62, pediu “Lula Livre” ao aceitar a menção honrosa pela animação A Cidade dos Piratas. Benzinho foi o filme brasileiro que saiu da cidade serrana com o maior número de Kikitos – quatro no total. Entre os filmes estrangeiros, o mais premiado foi o paraguaio Las Herederas, que levou cinco estatuetas.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Cinema, Poderes ocultos, Podres poderes e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s