Após voltar de Bangcoc, Demi-Leigh Nel-Peters tem agenda de compromissos com as coordenações estaduais do Miss USA


Série de viagens teve início em Rhode Island

Da redação TV em Análise

Sandor Bodo/The Providence Journal/21.08.2018


Depois de retornar de Bangcoc, onde marcou presença na coletiva de confirmação da capital tailandesa como sede da 67ª edição do concurso de Miss Universo, a vencedora do concurso de 2017, a sul-africana Demi-Leigh Nel-Peters, 23, passa a voltar as atenções de seu reinado como Miss Universo 2017 para o mercado americano. Ela iniciou na terça-feira (21), a parte local do projeto #Unbreakable de empoderamento feminino com algumas das 51 coordenações estaduais do Miss USA. A primeira parada foi em Providence, capital de Rhode Island.
De acordo com a Miss Universe Organization, Demi-Leigh vai levar a sua história de inspiração para outras coordenações de Estado do Miss USA. Ela encerra reinado como Miss Universo 2017 na manhã de 17 de dezembro (noite de 16 de dezembro, pelo horário brasileiro de verão). Vai terminar o reinado 385 dias após a sua eleição, na noite de 26 de novembro de 2017, em Las Vegas, onde encerrou um jejum de 39 anos de títulos para seu país. A única vez que uma sul-africana venceu o Miss Universo tinha sido em 24 de julho de 1978, com Margaret Gardiner, jornalista vnascida na Cidade do Cabo. Ela se encontrou com Demi-Leigh no tapete vermelho do 75º Golden Globe Awards, em janeiro.
Demi-Leigh Nel-Peters foi a quinta africana a vencer o Miss Universo. Outras vencedoras do continente no concurso foram a namíbia Michelle McLean (Bangcoc, 9 de maio de 1992), a bechuana Mpule Kwelagobe (Chaguaramas, 26 de maio de 1999) e a angolana Leila Lopes (São Paulo, 12 de setembro de 2011). McLean levou o título no período em que a África do Sul estava suspensa devido ao governo racista do apartheid desde 1985. A punição da Miss Universe Organization à Africa do Sul foi levantada em 1995, após a eleição de Nelson Mandela (1918-2013) para a presidência do país e o fim do regime segregacionista. Quando McLean venceu o Miss Universo, a Namíbia tinha se tornado independente da África do Sul em 21 de março de 1990. Até então, competira quatro vezes no Miss Universo como território administrado por Pretória (1981-84) e uma, em 1991, já como país independente.

MissUniverse Organization/Divulgação/21.08.2018

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo, Viagem e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s