FOX, ABC, CBS e NBC renovam com Primetime Emmy até 2026


Redes continuarão rodízio de transmissão do ‘Oscar do horário nobre americano’

Da redação TV em Análise

Gabriel Olsen/FilmMagic/14.09.2016


A Academia de Televisão anunciou na segunda-feira (6) a renovação do rodízio de transmissões do Primetime Emmy com as quatro principais redes abertas americanas – NBC, FOX, ABC e CBS – por mais oito anos. Pelo novo contrato, a FOX fará a 71ª e 75ª edições, em 2019 e 2023, a ABC, a 72ª e a 76ª edições, em 2020 e 2024, a CBS, a 73ª e a 77ª edições, em 2021 e 2025, e a NBC, a 74ª e 78ª edições, em 2022 e 2026. O sistema de rodízio vigora nas transmissões do Primetime Emmy desde 1995, quando a FOX abriu a ordem, na 47ª edição, seguida da ABC (desde1996), CBS (desde 1997) e NBC (desde 1998).
Na história dos Primetime Emmys, a NBC iniciou suas transmissões em 1955 e seguiu sozinha até 1965. De 1966 a 1986, CBS, ABC e NBC, as três únicas redes de então, se alternaram nas transmissões de TV do “Oscar do horário nobre americano”. As primeiras seis edições do Emmy, realizadas de 1949 a 1954, foram transmitidas por uma emissora de Los Angeles, a KHJ, atual KCAL, pertencente à CBS Corporation. Os primeiros anos do Primetime Emmy foram de transmissões radiofônicas. Só depois é que a transmissão televisiva das edições da premiação passou a ter importância e prioridade. Um ano após suia criação, em setembro de 1986, a FOX transmitiu sozinha os Primetime Emmys de 1987 a 1992. A ABC assumiu essa função em 1993 e 1994, antes da Academia de Televisão determinar o rodízio das redes.
O novo acordo também deu um reajuste no valor dos direitos de transmissão – de US$ 7,5 milhões, co contrato que acaba agora com a NBC, no dia 17 de setembro, passará para US$ 8,25 milhões por ano já a partir de 2019, na FOX, de acordo com especialistas de mercado ouvidos pelo site especializado Deadline. De acordo com a Variety, as redes deverão receber uma comissão adicional de US$ 10 milhões da Academia de Televisão por cada ano do acordo. Representantes de sindicatos de atores, produtores e roteiristas já começam a discutir mudanças na formatação da apresentação da transmissão das cerimônias, que envolvem principalmente a escolha de quadros de cada rede para apresentá-las. A deste ano terá à frente os comediantes Colin Jost, 36, e Michael Che, 35, do Saturday Night Live. Em troca, o que se quer questionar é o uso das “pratas da casa” em cada edição do Primetime Emmy. Os sindicatos querem nomes “neutros” para apresentá-las, como ocorre em outras premiações, como SAG Awards, Grammy, Tony Awards, Oscars e ACM Awards, pro exemplo.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Cult, Eventos, Premiações e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s