Assunto da semana: Indicações aos 70º Primetime Emmys – 4


O perigo do streaming no 70º Emmy de comédia

Prime Video/Divulgação


Ainda não é alarmante, mas a presença de produções de serviços de streaming no quadro de indicadas ao 70º Primetime Emmy de melhor série cômica começa a causar algum incômodo. A julgar da presença de The Marcelous Mrs. Maisel, vencedora de sua categoria no 75º Golden Globe Awards, realizado no dia 7 de janeiro. Fora essa, da Prime Video (marca usada pela Amazon para concorrer), há duas produções da Netflix, Glow e Unbreakble Kimmy Schmidt, esta saindo de cena após quatro temporadas. É por aí que reside o vespeiro da TV tradicional.
Tal preocupação com a presença de produções de streaming entre as comédias no Primetime Emmy se deve em muito ao feito, no drama, de The Handmaid’s Tale, da Hulu, controlada da Disney e anteriormente parceria desta com a FOX. Turner e NBCUniversal. A preocupação com o efeito da Aia nos Emmys de comédia é grande. Uma provável vitória de Mrs. Maisel colocaria por terra os lobbies de redes abertas e canais pagos, que já deram uma mostra de sua fraqueza no ano passado. Não tiveram calibre para derrotar Elisabeth Moss. E o que resta a estas agora?
Embora a HBO tenha três trabalhos indicados – Barry, Curb Your Enthusiasm e Silicon Valley, – o FX tenha Atlanta de Donald Glover e a ABC vá de Black-ish, será muito difícil, para não dizer impossível, reverter a vantagem de terreno que a Amazon já carrega com Marvelous Mrs. Maisel. É queridinha da crítica, a começar dos correspondentes estrangeiros eleitores dos Golden Globes, sem falar nas pencas de sindicatos. E não me venham com essa conversa de People’s Choice ou Teen Choice Awards. É conversa mole para boi dormir no pasto.
Foi-se a época em que as redes abertas davam as cartas no Primetime Emmy de comédia. A própria Samantina Fey sabe disso. Tanto é que a NBC, que aprovara Kimmy Schmidt, cedeu os direitos de exibição para a Netflix. Desde então, a própria NBC tem tido dificuldades de emplacar produções cômicas capazes de angariar indicações. Alunos do Saturday Night Live, como Bill Hader, foram pelo caminho de produzir sitcoms… para a HBO. E não para a casa que os empregou e acolheu. Traição? Vingança? Não. Se trata de mudança de comportamento. Bom sábado a todos.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado (11/8)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s