Band e Polishop abrem inscrições para as 27 etapas estaduais do Miss Brasil 2019 e definem regulamento para as candidatas


Competidoras deverão ter entre 18 e 26 anos até o dia 1º de janeiro de 2019

Da redação TV em Análise

Rodrigo Trevisan/Organização Miss Brasil Universo/Divulgação/27.05.2018


A Polishop e o Grupo Bandeirantes de Comunicação abriram oficialmente na tarde desta segunda-feira (30) as inscrições para os 27 concursos estaduais do ciclo do Miss Brasil 2019. A decisão ocorre dois meses após a realização da 64ª edição do concurso de Miss Brasil, na noite de 26 de maio, no Riocentro, na Barra da Tijuca (zona oeste do Rio de Janeiro). Na ocasião, a amazonense Mayra Dias, 26, venceu o título de Miss Brasil 2018, derrotando outras 26 candidatas, encerradndo um jejum de 61 anos sem títulos para seu Estado. Mayra se prepara para a 67ª edição do Miss Universo, que vai acontecer na manhã de 17 de dezembro, na Impact Arena, em Bangcoc.
De acordo com o regulamento, as candidatas terão de ter entre 18 e 26 anos completos até o dia 1º de janeiro de 2019. Não podem estar casadas ou divorciadas, tampouco ter filhos biológicos ou adotados. A novidade atinge em cheio as candidatas que são curadoras de idosos – a partir de agora, essa prática está proibida pelo regulamento. No do Miss Brasil 2018, a proibição valia inicialmente para candidatas que tivessem filhos adotivos.
As interessadas em disputar a coroa de Mayra devem residir no Brasil há pelo menos 12 meses da data de realização do certame, prevista para maio, em local e cidade ainda a serem definidos. Candidatas dos concursos estaduais devem obrigatoriamente representar um município. As competidoras devem apresentar às coordenações dos Estados e do Distrito Federal comprovantes de residência (contas de água, luz, telefone ou de serviços de TV por assinatura) referentes às cidades de representação. Candidatas que não representarem determinados municípios devem apresentar documentos de prefeituras de outras cidades que pretendam representar nos concursos estaduais. É obrigatória a apresentação de passaporte.
As candidatas devem declarar estar física e mentalmente preparadas para o exercício de suas atividades como miss, a partir de suas eleições nos concursos municipais e depois nos concursos estaduais. Não será permitida a participação de misses que sejam pré-candidatas a cargos eletivos e devem se abster de candidatar a cargos públicos até um ano após a realização dos concursos da cadeia Miss Brasil/Miss Universo para o ciclo de 2019. Não será permitida a participação de funcionários ou parentes de funcionários da Band, Polishop, IMG Worldwide, KPMG e Ernst & Young. Essa proibição vale para ex-funcionários dessas empresas ou misses que sejam parentes de ex-funcionários dessas empresas.
Candidatas que mentirem sobre informações dadas à Organização Miss Brasil Universo poderão ser desqualificadas das disputas municipais, estaduais, nacional, ou no caso da vencedora do Miss Brasil 2019, impedida de participar do Miss Universo 2019. Não será permitida a participação de candidatas que tenham feito cirurgias plásticas feitas um mês antes de qualquer dos concursos (municipais, estaduais, Miss Brasil e Miss Universo). As candidatas devem declarar que não participaram de edições anteriores do Miss Universo.
No que diz respeito à participação de candidatas de concursos rivais (Miss Mundo Brasil e assemelhados), a Organização Miss Brasil Universo permite a participação de candidatas que tenham participado de forma ética e sem reflexos negativos para o Miss Brasil. A candidatas deve abrir mão do título qie estiver tendo em concursos concorrentes ao Miss Brasil e ao Miss Universo. Também não poderá competir em outro concurso a partir de sua vitória no concurso estadual que a credenciar para o Miss Brasil 2019. A candidata que não vencer no concurso municipal, estadual ou nacional só poderá retornar à família Miss Brasil em 2020. No entanto, a candidata que vencer o concurso estadual e o Miss Brasil 2019 não poderá voltar a competir na etapa brasileira do Miss Universo, em hipótese alguma. A regra atende determinação da Miss Universe Organization.
As inscrições já estão sendo feitas no site oficial do Miss Brasil. De acordo com a Organização Miss Brasil Universo, será disponibilizado às candidatas um cronograma para a realização de inscrições, cujos prazos ficarão a critério de cada coordenação estadual. Os cadastros realizados no site passarão por três etapas: inscrição obrigatória, triagem por parte da direção nacional do Miss Brasil e notificação para as candidatas aprovadas.
A Organização Miss Brasil Universo vai enviar às coordenações estaduais e municipais e às candidatas um conjunto de documentos a serem preenchidos e devolvidos dentro do prazo determinado pela coordenação nacional do Miss Universo. As candidatas devem apresentar RG, CPF, passaporte com mais de seis meses de validade, comprovante de residência e carta ou ofício da Prefeitura, onde for necessário. Toda a documentação deve ser enviada em até dez dias antes da realização do Miss Brasil 2019, para garantir a participação da candidata estadual no certame. Falhas na entrega de documentos podem acarretar em desclassificação. A vencedora deverá estar ciente de que a Polishop poderá requisitá-la para eventos.

Transgêneros

O regulamento do Miss Brasil 2019 é vago em relação à permissão da participação de transgêneros. Não expressa nenhuma proibição nesse ponto, tampouco expressa qualquer tipo de permissão nesse sentido, principalmente depois que a transexual espanhola Angela Ponce, 27, venceu o Miss Universo Espanha 2018, no final de junho. Angela será a primeira trans a competir em uma edição do Miss Universo, desde sua criação, em 1952.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Band e Polishop abrem inscrições para as 27 etapas estaduais do Miss Brasil 2019 e definem regulamento para as candidatas

  1. Pingback: Band tem mais dois anos de contrato com o Miss Universo e Brasil terá de mostrar serviço no concurso se quiser o título | TV em Análise Críticas

  2. Pingback: Band defende calendário de estaduais para o Miss Brasil 2019 e causa mal estar com a Polishop, patrocinadora do concurso | TV em Análise Críticas

  3. Pingback: Polishop faz o que Band não está fazendo no Miss Brasil 2019 | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s