Assunto da semana: Indicações aos 70º Primetime Emmys – 1


A guerra de tronos no 70º Emmy de série dramática

HBO/Divulgação/16.07.2017


Na leva de indicações ao 70º Primetime Emmy anunciadas na manhã desta quinta-feira (12), a importância das séries dramáticas se tornou capital após a contagem de indicações dadas a Game of Thrones – 22, incluindo a área de produção. Atuação falaremos mais adiante. E por que só agora? A decisão da HBO de passar a sétima temporada para a summer-season passada foi um blefe que se fez para fazer o assinante esperar. Falar de “Thrones” a um ano de seu fim soa como uma temeridade, mas o termômetro do verão americano passado foi um medidor importante.
Na concorrência, The Handmaid’s Tale tentará defender a estatueta do ano passado, dado o clima político do primeiro ano da era Trump na Casa Branca. A Academia de Televisão já considerou a veiculação no streaming do Hulu feita a partir de abril. Foi ponto e prazo importante. Em relação ao público internacional, Brasil incluso, fica a expectativa do produto da segunda temporada. No Reino Unido, a veiculação está mais avançada. Não posso tecer comentário de temporada que ainda não acompanhei. Isso soa como um pré-julgamento deselegante e descortês.
Do pouco que vi do início da segunda temporada de This is Us nada posso esperar, a não ser mais do mesmo. Produção de rede aberta tem aí sua tranqueira. Se a NBC consegue vitória em reality de competição, o mesmo não posso julgar de um drama de amplitude. É aí que mora o perigo. People’s Choice Awards não quer dizer nada em relação a Primetime Emmy. A não ser que o relógio tenha parado em janeiro de 2017. Estamos em 14 de julho de 2018. Em relação a The Crown e Stranger Things, nada posso comentar. Não tenho Netflix. Portanto, nada feito.
Sobre a indicação de The Americans, a coisa deve partir do conjunto da obra. A despeito de nada ter visto de sua última temporada, aposto que essa produção deva ter algum apelo de enredo. Deve parar por aí. Vire a página para as categorias de roteiro. Em relação ao início da segunda temporada de Westworld, o qual pude assistir, achei coisa chocra, meio Joãozinho Trinta sem essência. Ficou oblíqua demais em relação ao quadro de ano passado. Como produção, Westworld não tem o calibre que Elisabeth Moss conseguiu há um ano. Bom sábado a todos.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado (14/7)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s