Assunto da semana: Submissões ao 70º Primetime Emmy – 2


A pesagem dos realities de competição para o 70º Emmy

Eric McCandless/ABC/Divulgação/21.05.2018 via Getty Images


A dois dias do fim do prazo de votação para decidir as indicações ao 67º Primetime Emmy, fica difícil mensurar qualquer coisa das cédulas de submissão de programas, trabalhos técnicos, diretores e artistas. Só com a conta de 53 realities de competição inscritos para a sua categoria, esse julgamento fica ainda mais torto, dada a demanda de produções. A lógica de indicações para The Voice, Dancing with the Stars e The Amazing Race é certa no andar dos caminhões de correio a serviço da Ernst&Young, firma que vai prestar auditoria nas fases seguintes da premiação.
Não dá para julgar qualquer coisa do 70º Primetime Emmy sem antes termos as informações completas e acuradas de cada categoria, inclusive as mais importantes. Tudo tem que estar ao alcance dos que leem blogs como o TV em Análise Críticas, mais acostumados a dar listagens completas, amplas e abrangentes. Para jornal, como o Meio Norte, evidentemente, este é um trabalho industrialmente impossível de ser feito. Demandaria um grande esforço humano de informação, como o ora empregado nas atenções da Copa monopolizada pela Rede Globo.
Voltando à área dos realities de competição, a volta do American Idol à televisão não quer dizer muita coisa em termos de disputa para esta edição do “Oscar do horário nobre americano”. A coisa tem que ser tratada com certo cuidado. Colocar numa mesma roseira de indicados Idol e The Voice é como dar uma bomba-relógio a membros do grupo de votação. Em tempos de American Ninja Warrior, é coisa ainda mais preocupante. Em telespectadores, o retorno do Idol pouco lembrou seus tempos áureos, quando era o programa mais visto. Isso até 2011.
Sem entrarmos em pré-julgamentos forçados, é notório que apareça uma ou outra surpresa no anúncio formal dos indicados, a ser feito no teatro da Academia de Televisão, em North Hollywood. A releitura do Showtime at the Apollo com Steve Harvey é uma delas. Para lavar louça, o júri deve colocar o de sempre entre Project Runway, So You Think You Can Dance e Top Chef. Não há plano A ou B nem lista de desejos que mude a tônica das coisas. O ambiente a ser formado entre American idol e The Voice ditará a palavra preliminar. Até sábado.


Publicação simultânea com o TV+Vida do Jornal Meio Norte deste sábado (23/6)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Premiações, Reality-shows e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s