Greve dos caminhoneiros adia homenagem à Miss Brasil 2018


Amazonenses terão de esperar mais um pouco para recepcionar Mayra Dias

Da redação TV em Análise

Leo Franco/Organização Miss Brasil Universo/Divulgação/28.05.2018


As homenagens do Amazonas à Miss Brasil 2018 Mayra Dias, 25, não irão acontecer de imediato e para já. A avaliação é do coordenador do concurso no Estado, Lucius Gonçalves, que diz estar acertando detalhes de como e, principalmente, quando essas homenagens irão ocorrer.
Um dos fatores que levaram a um puxão de freio nos planos da direção do Miss Amazonas para homenagear Mayra pela conquista do título nacional, na madrugada do domingo (27), no Riocentro, na zona oeste do Rio de Janeiro, é a greve dos caminhoneiros, que atrapalhou também os planos de retorno de muitas das 26 concorrentes de Mayra a seus Estados.
Através de sua assessoria, a Polishop informou que Mayra passou a primeira semana de seu reinado em São Paulo, atendendo a uma estreia de filme e preparando as fotos oficiais a serem usadas na divulgação para o Miss Universo 2018 e em materiais da Organixação Miss Brasil Universo. na manhã desta sexta-feira (1º), já estava em um resort de Campos do Jordão, descansando da maratona de atividades que a levou ao título.
O Amazonas não vencia um título de Miss Brasil desde 1957. Através de um aplicativo de mensagens, a Miss Brasil 1957, Terezinha Morango, 81, mandou uma mensagem felicitando Mayra pela eleição como Miss Brasil 2018. Terezinha foi segunda colocada no Miss Universo 1957, realizado em Long Beach (Califórnia). Políticos como Alfredo Nascimento, deputado federal pelo PR e ex-ministro dos Transportes, Vanessa Grazziotin, senadora pelo PCdoB, o governador Amazonino Mendes (PDT) e o prefeito de Itacoatiara, Antônio Peixoto de Oliveira (PT). Itacoatiara, localizada a 165 km a leste de Manaus,é a cidade natal da representante brasileira no Miss Universo 2018, que deve acontecer em dezembro.
No início da semana, Mayra teve suas redes sociais atacadas por hackers que eram contra a sua eleição como Miss Brasil 2018 e tentavam postar mensagens xenófobas, racistas (ela é descendente de índios) e de preconceito regional. No início da tarde da sexta-feira (1º), quando a matéria terminou de ser apurada, todas as redes sociais de Mayra – Facebook, Twitter e Instagram – já tinham sido restabelecidas.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s