Departamento comercial da Band veta data da Polishop para o Miss São Paulo 2018, que é antecipado para o dia 31 de março


Etapa paulista do Miss Brasil 2018 estava marcada para 7 de abril

Da redação TV em Análise

Miss São Paulo/Divulgação


A direção comercial da Rede Bandeirantes vetou a data de realização que a Polishop tinha proposto para a realização do concurso Miss São Paulo 2018, que era a do dia 7 de abril. A emissora argumenta que tem compromissos de programação previamente estabelecidos e não pode atropelá-los. A decisão da Band em vetar a realização do Miss São Paulo 2018 no primeiro sábado de abril desagradou o diretor nacional de licenças do Miss Brasil, Marcelo Soes, que vinha trabalhando desde novembro com um calendário pré-detgerminado de concursos estaduais junto com os coordenadores dos 27 concursos estaduais, com o Miss Brasil marcado para 19 nde maio.
A antecipação do Miss São Paulo 2018 para março é uma vitória do grupo liderado pela coordenadora do Miss Brasil, Karina Ades, nome indicado p0la Band para continuar com a transmissão do concurso após a venda de seus ativos para a Polishop, no final de 2015. É o primeiro grande revés de Soes e de seu grupo, formado por 20 coordenadores estaduais, que na prática não tem nenhum poder de decisão nos rumos do Miss Brasil, que credencia a representante do país ao título de Miss Universo. Na prática, quem decidiu a data do Miss São Paulo 2018 foi a Band e não a Polishop, como se fazia crer.
A interferência excessiva da Band no calendário dos concursos estaduais do Miss Brasil 2018 pode levar a um ambiente de desorganização pior que o verificado no ciclo do Miss Brasil 2015, quando todas as 27 misses foram eleitas e nenhuma certeza se tinha sobre a data. A dúvida acabou depois da aquisição do concurso pela Polishop, em 31 de outubro de 2015. A cena atual pode levar abaixo o plano de se realizar a 64ª edição do Miss Brasil em maio. Como a Band não comprou da Globo o sublicenciamento da Copa da Rússia, já se estuda a alternativa de transferir o Miss Brasil 2018 para junho. As negociações para a escolha da cidade-sede estão paradas. Em 2017, o concurso ocorreu em Ilhabela (SP).
As assessorias da Band e da Polishop foram procuradas pela reportagem do TV em Análise Críticas, mas ninguém foi localizado para responder sobre o imbróglio no concurso paulista, tampouco sobre os problemas que cercam a organização do concurso nacional.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s