Steve Harvey se tornou o intocável do concurso Miss Universo


Permanência para 2018 está assegurada

Da redação TV em Análise

Frazer Harrison/Getty Images/26.11.2017


Depois de 35 dias de sua realização, no teatro The AXIS do Planet Hollywood Resort and Casino, em Las Vegas, a 66ª edição do concurso de Miss Universo conseguiu o feito de manter Steve Harvey, 60, como figura imexível na condição de apresentador principal. O mesmo vale também para a modelo Ashley Graham, 30, investida na função de repórter de bastidores, coisa que ela pegou desde sua época de Miss USA 2016. Para a Miss Universe Organization, Harvey virou uma espécie de “Bob Barker negro”, numa alusão ao mais longevo apresentador do concurso. Barker, 94, apresentou o Miss Universo por 21 anos seguidos, de 1967 a 1987.
Foi na época de Barker que o Miss Universo passou a ter transmissão em cores e via satélite, inicialmente para 40 países e territórios (hoje o concurso é visto em 213). Na época de Barker, os computadores eram grandes e levavam meses para serem montados. Até que no concurso de 1982, em Lima, começou a se apresentar alguma novidade tecnológica à miss que vencesse. Não haviam selfies e as fotos levavam horas para serem reveladas aos jornais e revistas. Na época de Barker, o Iraque só competiu uma vez antes de cair no inferno de uma guerra sangrenta com o Irã e uma ditadura tirânica que atiçou a ira americana a ponto de promover três invasões – 1991, 1996 e 2003. E foi exatamente na época de Barker que Israel conquistou sua única vitória no Miss Universo. O ano era 1976 e o dia era 11 de julho, Rina Messinger derrotou outras 71 candidatas no Lee Theatre, em Hong Kong, depois de três semanas de programação intensa.
Contratado da CBS, Bob Barker aguentou a mudança de controle do concurso da Kayser-Roth para a Gulf+Western, então dona da Paranount, em 1977. Resistiu o quanto pôde na troca de guarda do Miss Universo da G+W para a MSG Entertainment, já no concurso de 1987, realizado em Cingapura. Naquela altura, Barker já estava com 63 anos e tinha pedido para se aposentar. Estava nessa função desde os 43. Viajou quatro dos cinco continentes. Na vez que o Miss Universo ocorreu na África, em 1995, em Windhoek, Barker já estava fora da família do Miss Universo. E o concurso já preparava uma nova troca de guarda – da MSG (Madison Square Garden) para a Trump Organization.

***

Quando Donald Trump vendeu a Miss Universe Organizationn à William Morris Endeavor no dia 14 de setembro de 2015 por US$ 28 milhões, os novos donos do Miss Universo tiveram de cara a escolha de um nome, ao invés de dois, para apresentar o Miss Universo. De sacada, pensaram no nome de Steve Harvey. Era nome familiar da tevê diurna americana e de game shows. Escrevera livros que ganharam as telas do cinema. Fazia palestras motivacionais. Agenciado pela WME, Steve Harvey assinou um contrato de cinco anos com a MUO, prorrogáveis por mais dois, para apresentar o Miss Universo e somente o Miss Universo. Para o Miss USA, outros nomes foram procurados no mercado. À diferença de Bob Barker, Harvey não apresenta o Miss USA. Barker apresentou o Miss USA da sua forma. Terrence J e Julianne Hough o fazem a seu modus operandi.
A noite de 20 de dezembro de 2015 ficou marcada definitivamente na carreira de Harvey pela irresponsabilidade de um estagiário, de um trainee, de não ter orientado-o para dizer o resultado que constava das mãos do auditor da empresa Ernest&Young, que trabalha para a MUO desde 1952. Na mão de Harvey, estavam os futuros de duas jovens – a filipina Pia Wurtzbach, que tentava encerrar um jejum de 42 anos de vitórias para seu país, e a colombiana Ariadna Gutiérrez, que tentava repetir o feito da Venezuela em 2009, dando um título consecutivo e o tricampeonato. O tri para a Colômbia durou apenas um minuto e meio. Instado por funcionários da MUO, Harvey foi orientado a dizer que a segunda colocação era da colombiana e o título de Miss Universo 2015 era da filipina. As Filipinas foram à loucura e, em janeiro de 2016, organizaram uma mega recepção a Pia pelas ruas de Manila. A Ariadna restaram o choro e a decepção de um título tirado.
Um mês após o incidente de Las Vegas, Steve Harvey destinou uma edição de seu programa para receber tanto Pia quanto Ariadna. No dia em que o episódio do reencontro foi ao ar, uma equipe da Rede Globo estava no hotel em que Ariadna estava hospedada, em Miami, a entrevistando para o Fantástico. Após ter encerrado seu reinado como Señorita Colombia 2014, Ariadna, independente do resultado, começaria uma nova vida. Não em Nova York, mas na Flórida. Passou a ter mais destaque na imprensa latina que la Wurttzbach e sua horda de Pianatics. E foram os Pianatics que espalharam aos quatro ventos que as Filipinas seriam a sede do Miss Universo 2016. Depois de seis meses de negociações, a Mall of Asia Arena, em Pasay (região metropolitana de Manila), era oficializada como local do concurso, no dia 5 de setembro. Estava ali selado o primeiro destino internacional de Steve Harvey na condição de apresentador do Miss Universo. Atenas foi a primeira parada internacional de Bob Barker na função, em 1973.

***

A comparação de Harvey na função de apresentador do concurso de Miss Universo com o personagem da ficção policial de Eliot Ness, da série e do filme Os Intocáveis soa como inevitável, ainda mais num período em que o Miss Universo pós-Barker tem tentado procurar um rosto que se torne familiar e mais perene. Os apresentadores que sucederam Barker desde 1988 não tem aguentado mais que um a quatro anos seguidos na função. O caso mais emblemático é do já falecido Dick Clark, que comandou o concurso entre 1990 e 1993. Bob Goen ficou de 1994 a 1996, sucedido por George Hamilton, em 1997. Jack Wagner apresentou os concursos de 1988 e 1999. De 2000 a 2014, o Miss Universo assistiu a uma verdadeira troca de cabeças no palco.

OS APRESENTADORES DO CONCURSO DE MISS UNIVERSO QUE FICARAM MAIS TEMPO NA FUNÇÃO
Desde a criação do concurso, em 1952 até 2018
Aparições Apresentador Período

21

Bob Barker 1967-1987

6

Bob Russell 1952-1957
4 Dick Clark
Billy Bush
Steve Harvey
1990-1993
2003-2005, 2009
2015-2018
3 Jack Linkletter
Bob Goen
Daisy Fuentes
Natalie Morales
1964-1966
1994-1996
2002-2004
2010-2011, 2014
2 Byron Palma
Gene Rayburn
Jack Wagner
Nancy O’Dell
Mel B
Andy Cohen
Thomas Roberts
1958-1959
1962-1963
1998-1999
2005-2006
2008, 2013
2011-2012
2013-2014

A 269 dias de sua realização, no Centro de Convenções 27 de Enero, em Lima (Peru), a presença de Steve Harvey como apresentador da 67ª edição do concurso de Miss Universo é dada como certa. No dia 20 de setembro, Harvey deverá fazer sua segunda viagem internacional para apresentar uma edição do Miss Universo fora dos Estados Unidos, a menos que os borbotões filipinos ajam com voracidade para colocar o Kuczynski para fora, no lugar do Congresso Nacional peruano.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s