Filipinas tentam tirar do Peru a sede do 67ª edição do concurso de Miss Universo, que está marcada para o dia 26 de setembro


Insistência é da chefe do DOT, Wanda Teo

Da redação TV em Análise

Ted Alibe/AFP/Getty Images/07.12.2017


Apesar de estar verbalmente certa, a escolha de Lima para sediar a 67ª edição do concurso de Miss Universo, no dia 26 de setembro, corre sério risco. A falta de documentos oficiais que comprovem que a capital peruana esteja efetivamente interessada em sediar o concurso pela segunda vez desde 1982 tem sido a munição usada pelos representantes do Departamento de Turismo das Filipinas (DOT, na sigla em inglês) para acelerarem as tratativas com a Miss Universe Organization e sua controladora, a Endeavor (ex-WME/IMG). Em entrevista ao Philippine Star, a secretária do DOT, Wanda Teo, 65, disse que as Filipinas são “a melhor opção” para receber o Miss Universo 2018, marcado para a manhã do dia 27 de setembro (noite do dia 26 de setembro, pelo horário de Brasília).
Wanda Teo, na verdade, quer é se aproveitar da frágil situação política em que o Peru se encontra, após as denúncias de corrupção da empreiteira brasileira Odebrecht, que levaram para a cadeia dois ex-presidentes daquele país, Alan Garcia e Alejandro Toledo, e quase causaram o impeachment do atual mandatário, Pedro Pablo Kuczynski, 79, que teve seu mandato salvo na quinta-feira (21) pelo Congresso Nacional, que opera em sistema unicameral. A abstenção de 21 deputados foi decisiva para que Kuczynski, economista de formação e ex-banqueiro, salvasse seu mandato. A revolta popular com o caso Odebrecht jogou na geladeira os sonhos peruanos de sediar o Miss Universo 2018. E, por tabela, acionou os dirigentes do turismo filipino para jogar Kuczynski aos leões.
Inicialmente, o plano do DOT consistia em fazer com que o Miss Universo 2017 ocorresse no Smart Araneta Coliseum, em Quezón City (região metropolitana de Manila), na manhã do dia 27 de novembro (noite de 26 de novembro, pelo horário de Brasília). Como o concurso ocorreu na mesma época da cúpula da ASEAN (Associação de Nações do Sudeste Asiático), o presidente Rodrigo Duterte, 72, recomendou que Teo desistisse da proposição para receber o Miss Universo 2017. O concurso acabou sendo realizado em Las Vegas. Em compensação, no início de dezembro, um grupo de 15 candidatas do Miss Universo 2017 visitou quatro cidades filipinas numa clara demonstração de que a intenção filipina de sediar o Miss Universo 2018 está mais viva do que nunca.
De acordo com o DOT, a exposição das Filipinas no Miss Universo 2016, realizado na manhã de 30 de janeiro, na Mal, of Asia Arena, em Pasay (região metropolitana de Manila), fez o número de turistas para o país crescer 11% até agosto. Não há voos diretos do Brasil para as Filipinas. As empresas aéreas que voam para Manila oferecem aos turistas brasileiros conexões em Dubai, Abu Dhabi, Adis Abeba, Paris, Londres e Frankfurt, considerando-se voos partidos do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos (região metropolitana de São Paulo).
As Filipinas receberam o Miss Universo por outras duas vezes, em 21 de julho de 1974, no Teatro de Artes Folclóricas, e 20 de maio de 1994, no Centro Internacional de Convenções das Filipinas, ambos em Pasay. A Miss Universo 2017, a sul-africana Demi-Leigh Nel-Peters, 22, integrou a comitiva de misses que esteve no país.
Caso Lima ainda insista com sua tentativa de sediar o Miss Universo 2018, a opção da capital peruana será o Centro de Convenções 27 de Enero, com capacidade para 10 mil espectadores. O local, inaugurado em outubro de 2015, vem preencher a lacuna deixada após a transformação do Coliseo Amauta, sede do Miss Universo 1982, em templo evangélico, para que Lima receba eventos do porte do Miss Universo.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Força da Grana, Jóia da coroa, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Filipinas tentam tirar do Peru a sede do 67ª edição do concurso de Miss Universo, que está marcada para o dia 26 de setembro

  1. Pingback: Steve Harvey se tornou o intocável do concurso Miss Universo | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s