A Polônia faz o dever de casa ao indicar candidata para o Miss Universo 2017 e não ficar fora do concurso, que está perto


Escolha de Katarzyna Włodarek foi anunciada na segunda-feira (25)

Da redação TV em Análise

Miss Polônia/Divulgação


A decisão da coordenação do concurso de Miss Polonia de indicar Katarzyna Włodarek para a disputa do título de Miss Universo 2017, daqui a 61 dias, em Las Vegas, reacende uma discussão que deveria ter sido tomada no caso brasileiro para o Miss Universo 1990. Para não ter de ver seu país fora do principal concurso de beleza do mundo, a direção do Miss Polônia fez aquilo que o Miss Brasil da gestão do SBT não fez (ou não quis fazer, para atender a agenda do “pacote de maddades” de Zélia, Eris e Kandir, que matou o sonho de Adriana Colin participar da 39ª edição do Miss Universo, realizada no dia 15 de abril de 1990, em Los Angeles.
Nesta altura do campeonato, aproveitar a segunda colocada do concurso nacional do ano anterior é a saída mais sensata. Saída essa que a Polônia adotou em 2017 e o Brasil não adotou em 1990, ou por alinhamento com o monopólio midiático da Globo ou por contabilização de prejuízos eleitorais de um projeto fracassado de poder – caso do animador Sílvio Santos, apresentador do Miss Brasil usado como moeda de troca de legenda de aluguel para beneficiar coronéis nordestinos. Ao agraciar Hugo Napoleão e Marcondes Gadelha com benesses anti-Collor, o SBT enterrou seu núcleo de misses e mandou Marlene Brito, coordenadora geral do projeto, para a rua junto com toda a equipe, na rabeira das consequências danosas do confisco das poupanças.
Robustecida por um acordo com a TVP, principal emissora de televisão do país, a coordenação do Miss Polônia atende à demanda dos fãs de seu concurso, que não querem a Polônia fora do Miss Universo. A última vez que a Polônia esteve fora do Miss Universo foi entre 1987 e 1989. Antes, tinha ficado fora de 1960 a 1983, devido às restrições do regime comunista de Varsóvia. A Guerra Fria passou e com sua dispersão, belas polonesas passaram a desfilar graça aos jurados do Miss Universo. Brygida Elżbieta Bziukiewicz deu ao país a primeira classificação da primeira retomada. Ficou em quarto logar na Cidade do Panamá, em 21 de julho de 1986. Depois da segunda retomada, em 1990, as classificações polonesas no Miss Universo minguaram. Na última delas, no suspeitíssimo Miss Universo 2012, Marcelina Zawadzka ficou apenas entre as 16 semifinalistas em traje de banho.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Outras Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s