Dez anos depois de Natália Guimarães ter sido vice no Miss Universo 2007, desempenho brasileiro no concurso só é inferior ao verificado entre 1957 e 1966 e 1967 e 1976


Investimentos de mídia e volta do concurso à televisão foram decisivos para evolução

Da redação TV em Análise

Fotos Miss Universe Organization e Getty Images


Há exatos dez anos o Brasil experimentava pela primeira vez depois de 35 anos o gosto de ficar perto do título de Miss Universo. Depois de ter encerrado um jejum de 26 anos sem classificações entre as cinco finalistas, a mineira Natália Guimarães, então com 22 anos, iniciou um novo ciclo de evolução nas classificações brasileiras no concurso após uma violenta estagnação entre 1987 e 1996, quando o país só teve uma classificação. No período anterior, entre 1997 e 2006, o país teve melhor desempenho, com três classificações, porém sem ver a cor de uma classificação entre as finalistas.
A retomada das transmissões televisivas do concurso Miss Universo, em 2003, após um hiato de 15 anos, foi fator decisivo para que ocorresse também um aprimoramento no Miss Brasil e nas metodologias de trabalho dos concursos estaduais e municipais. Fora as 27 disputas estaduais, no Brasil são realizados cerca de 400 concursos municipais válidos pela etapa brasileira do Miss Universo. Foi em um desses eventos que Natália foi eleita, antes de obter o título de Miss Minas Gerais 2007, no segundo semestre de 2006.
Com o Miss Brasil de volta à televisão em 2002, o país pôde voltar a saber qual seria a representante do país no Miss Universo, após um silêncio imposto pela Rede Globo e pela Associação Brasileira de Agências de Propaganda (ABAP), em conluio com políticos do PT presos pela Operação Lava Jato. A despeito de “surfar” na onda de certos realities, o Miss Brasil desde então só tem aumentado sua exposição de mídia. E, por tabela, as suas mazelas nas diversas coordenações estaduais. Apesar do agouro, o desempenho de classificações do país no Miss Universo só não é melhor que o verficado entre os períodos de 1957 a 1966 e 1967 a 1976. Em ambas as décadas, o país teve oito classificações em cada uma delas, resultando nos dois títulos até agora conquistados. Na tabela abaixo, o quadro de classificações brasileiras no Miss Universo em décadas anteriores a 2007 e 2016

 
Período Classificações Finalistas Títulos
1957-1966 8 5 1
1967-1976 8 3 1
1977-1986 5 2 0
1987-1996 1 0 0
1997-2006 3 0 0
2007-2016 7 4 0
Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Datamisses, Nossas Venezuelas, Numb3rs, Projetos especiais e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s