A uma semana da realização do do Miss São Paulo, maioria das coordenações estaduais do Miss Brasil ainda não sabe como trabalhar o ciclo de concursos de 2017


Padronização determinada pela Polishop e MUO ainda não chegou ao conhecimento dos coordenadores

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Rodrigo Trevisan/Organização Miss Brasil Universo/Divulgação


Restando exatamente uma semana para o início do ciclo de concursos estaduais do Miss Brasil 2017, com a realização do Miss São Paulo, a maioria dos 17 coordenadores estaduais franqueados da Organização Miss Brasil Universo ainda não recebeu as novas orientações para a realização dos concursos restantes da temporada. O relato é do Comitê Nacional de Coordenadores de Concursos de Beleza (CNCCB), que atestou uma série de irregularidades no padrão determinado no Manual de Ética e Operações do Miss Brasil, cheio de pontos ainda retroativos ao Miss Brasil 2016. O TV em Análise Críticas preferiu não acessar o documento, atendendo a reclamações de fãs de concursos e de pessoas ligadas às coordenações estaduais, que já mandaram dezenas de cartas à Polishop, patrocinadora master do Projeto Miss da Rede Bandeirantes.
Entre as irregularidades encontradas estão itens como a aparição da Miss Brasil, ainda creditada como Marthina Brandt. De acordo com o CNCCB, a troca para o nome de Raíssa Santana já deveria ter sido feita, uma vez que a candidata do Paraná foi eleita em 1º de outubro de 2016. “O Miss Universo já passou e não tivemos nada de resposta da Polishop até agora”, reclama um coordenador estadual da região Nordeste, que pediu para não ter sua identidade revelada, temendo represálias.
De acordo com uma investigação realizada pelo TV em Análise Críticas, os Estados franqueados que estão mais atrasados nos preparativos para seus concursos são Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Paraíba, Rondônia e Roraima. Das coordenações sob responsabilidade da Polishop, estão atrasados Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Tocantins. Ao todo, 16 coordenações estão com os trabalhos de produção de seus concursos bastante atrasados. Ou seja, caso um desses Estados leve o Miss Brasil 2017, irá mandar para o Miss Universo uma candidata despreparada e sem o mínimo de acompanhamento. E o mais grave: boicotada pela mídia de seu Estado. O caso de Larissa Costa, eleita Miss Brasil 2009 pelo Rio Grande do Norte, ilustra bem esse tipo de situação.
Procurado pela reportagem do Críticas, o coordenador do Miss Rio Grande do Norte, Francisco Oliveira, disse que ainda vai se inteirar do teor do documento enviado pela Polishop aos coordenadores estaduais e prometeu emitir “um posicionamento adequado” no que chama de “pontos controversos” do Manual de Empoderamento Feminino, documento muito contestado por coordenadores estaduais mais experientes, que preferem trabalhar com o conceito clássico de Miss Brasil para o Miss Universo, mas esquecem que estamos no século 21. O coordenador do Miss Maranhão, Márcio Prado, disse que tentará se adaptar às exigências propostas pela direção do Miss Brasil para adequar seu concurso aos parâmetros determinados pela Miss Universe Organization e pela IMG Universe, controlada da WME/IMG, proprietária do Miss Universo.

Manual de Empoderamento é vazio de discurso e cheio de erros

Os coordenadores estaduais que procuraram o Críticas atacaram diversos pontos do Manual de Empoderamento Feminino proposto para o Miss Brasil 2017, apontando um monte de discursos vazios, rasos e repletos de erros gramaticais e inconsistências. Foi essa discrepância que fez o piauiense Nelito Marques, 73, abandonar a coordenação de seu Estado e passá-la para a Polishop e para a emissora da Band no Piauí, no início de fevereiro.
Pontos como “atitude” e “poder das mulheres” foram bastante atacados pelos coordenadores, que viram sinais de “petismo e comunismo” e “indícios de bolivarianismo”, numa alusão clara a um intento do Miss Brasil de ultrapassar a Venezuela em classificações e títulos de Miss Universo a médio prazo. Um coordenador estadual que participou ativamente dos movimentos que desencadearam o impeachment da presidenta eleita Dilma Rousseff alertou ao Críticas que “o Brasil não pode virar uma Venezuela nem nos concursos de misses. Temos preocupações mais gravíssimas para resolver como redução da maioridade penal, crise dos presídios e o desemprego em massa de 13 milhões de trabalhadores”. Procuradas, Band e Polishop, sócias da Organização Miss Brasil Universo, informaram que não irão comentar as reclamações dos coordenadores e consideraram as informações de atraso dos concursos estaduais “falsas” e “infundadas”.
As diretrizes do Manual de Empoderamento Feminino já estão sendo empregadas na programação do concurso Miss São Paulo 2017, que começou na quarta-feira (15). As 20 candidatas municipais estão confinadas no hotel Ca’d”Oro, na Consolação (região central da capital paulista).

Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Jóia da coroa, Nossas Venezuelas, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s