Perth promete investir mais que Manila no Miss Universo 2017


Gastos devem chegar a US$ 20 milhões

Da redação TV em Análise

Perth Now/Material de Suprimento/03.09.2016
Troy Barbagallo: “Não se faz Olimpíada, Copa e Fórmula 1 por esse valor”


Os gastos da cidade de Perth para a realização da 66ª edição do concurso de Miss Universo devem chegar à casa dos US$ 20 milhões. A estimativa é do empresário local Troy Barbagallo, que está à frente das negociações com a Miss Universe Organization para a organização do certame, previsto para o dia 17 de dezembro, na Perth Arena. Candidatas de 80 países e territórios devem participar.
De acordo com o site Perth Now, as negociações para a realização do Miss Universo 2017 na capital do Estado da Austrália Ocidental (oeste da Austrália) “estão em andamento”. A cidade sediou o certame anteriormente no dia 20 de julho de 1979. À ocasião, 75 candidatas participaram da disputa, vencida pela venezuelana Maritza Sayalero e realizada no extinto Perth Entertainment Centre, localizado perto da nova arena do Miss Universo 2017. Apesar do custo ser maior que os US$ 11 milhões gastos pelas Filipinas para realizar o Miss Universo 2016 no doa 30 de janeiro de 2017, Barbagallo insiste que “o custo é baixo”, mas não é o que se denota em termos de custos.
Para justificar a afirmativa sobre os gastos na organização do Miss Universo 2017, Barbagallo comparou o concurso a uma Copa do Mundo FIFA (nenhuma realizada no país), um Grande Prêmio de Fórmula 1 (Adelaide e Melbourne já receberam em ocasiões distintas o GP da Austrália) e uma Olimpíada de Verão (a Austrália sediou duas – Melbourne 1956 e Sydney 2000). “Você tenta colocar um Grande Prêmio (de F1), um evento de Copa do Mundo de Futebol ou Jogos Olímpicos por essa quantia. Você não consegue”. Ele diz já ter o aval da MUO para ir adiante com a candidatura.
DE acordo com Barbagallo, a primeira parte relativa à apresentação do Caderno de Encargos à Miss Universe Organization, controlada desde 14 de setembro de 2015 pelo grupo americano de entretenimento WME/IMG, através da subsidiária IMG Universe, já foi feita. A próxima fase da candidatura será a obtenção de fundos junto a investidores locais e acertos relativos à parte logística, que deverá cobrir viagens das candidatas nacionais para outras regiões da Austrália. “Não necessariamente Perth”, disse.

Jan Otto/Getty Images

Autoridades locais

De acordo com Troy Barbagallo, discussões tem sido feitas com autoridades de turismo do Estado da Austrália Ocidental, que deverá abrigar as preliminares e a final televisionada. Ele diz ter tido uma breve discussão com o Governo Estadual, na qual vários líderes empresariais locais demonstraram interesse na realização do concurso. “O plano está bom, falta apenas obter um bom financiamento”, disse.
Negociações tem sido feitas com os governos dos Estados de Queensland e Victoria para a realização de atividades secundárias do certame. O chefe interino de Turismo da Austrália Ocidental, Gwyn Dolphin, disse que se Barbagallo tiver submetido algum tipo de proposta para a realização do Miss Universo 2017 na região, esta seria avaliada da mesma forma que outros eventos propostos. “A Tourism WA avalia todas as propostas de eventos dentro do que os fundos governamentais podem prover retorno de investimento para a Austrália Ocidental em até um, ou a combinação de público, visitação, gastos dos visitantes, exposição de mídia e apelo junto a nossos consumidores alvo”, disse Dolphin.
Caso a escolha de Perth seja oficializada, o concurso terá de começar às 8h locais da segunda-feira, 18 de dezembro, para atender às necessidades de transmissão da geradora americana do concurso, a FOX, que deverá começar sua transmissão às 19h do domingo, 17 de dezembro (22h, pelo horário brasileiro de verão). Em 1979, o concurso começou às 9h da manhã do dia 20 de julho para abrigar a transmissão de horário nobre feita pela CBS às 21h, pelo horário da costa leste americana (22h pelo horário de Brasília). A Austrália Ocidental não adota horário de verão desde 2009.
A Miss Universe Organization ainda não fixou prazos para a escolha da cidade-sede da 66ª edição do Miss Universo, mas a julgar pela apresentação dos documentos e da carta de intenções de Barbahgallo, coordenador do concurso Miss Universo Austrália, e o andamento da captação de investidores, a decisão deverá sair antes da realização do Miss USA 2017, prevista para 4 de junho, em Las Vegas.

Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Força da Grana, Jóia da coroa, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Perth promete investir mais que Manila no Miss Universo 2017

  1. Pingback: Coordenadora do Miss França Sylvie Tellier expressa interesse na realização do concurso Miss Universo 2017 em Paris antes mesmo da chegada de Mittenaere à capital francesa amanhã | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s