Eu sei quem matou a Miss Brasil de 2004, Fabiane Niclotti (mas a RBS e a Polícia Civil Política do RS não quer que você saiba)


Foi o PMDB de Sartori, Temer, Cabral e Cunha, os dois últimos presos pela Operação Lava Jato

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Fotos Getty Images, Estadão Conteúdo e Exame


Saiu na quarta-feira (1º) o laudo da Polícia Civil do Rio Grande do Sul para a morte da Miss Brasil 2004, Fabiane Niclotti, ocorrida em 28 de junho do ano passado, em Gramado (microrregião de Gramado-Canela, 115 km ao norte de Porto Alegre). De acordo com a visão oficial do desgoverno do sr. José Ivo Sartori, Fabiane, tal qual o cantor Prince (1958-2016), morreu vítima de overdose de medicamentos. Isso é o que diz a imprensa oficial, representada pela Rede Globo e por sua afiliada no Estado, a RBS, através do jornal Zero Hora.
A visão chapa-branca da morte de Fabiane Noclotti, representante brasileira no Miss Universo 2004, não me convence. É mais uma pequena grande mentira do neoliberalismo que tomou de assalto o Palácio do Planalto em 12 de maio de 2016, através de um golpe parlamentar orquestrado pelo PMDB do qual Fabiane era filiada e pretendia se candidatar a vereadora em Gramado. O “suicídio” deixou o PMDB gramadense desfalcado de um nome de grande visibilidade e mídia para o pleito municipal de 2 de outubro.
Continuo a não acreditar nessa conversa de “bilhete de despedida” apregoada pela imprensa venal que derrubou a presidenta legítima do Brasil, Dilma Rousseff, 69, e entronizou um presidente sem voto. Quando informei a morte de Fabiane aos leitores do TV em Análise Críticas, em junho do ano passado, denotei que Fabiane morreu no ocaso, à sombra do sucesso de Grazielli Massafera, terceira colocada no Miss Brasil 2004. É Grazi a mais famosa das competidoras do Miss Brasil daquele ano. Angariou uma indicação ao Emmy Internacional e contratos de publicidade. Formou uma família que Fabi não teve tempo sequer de ter. Se escondeu de tudo e de todos. Jogou fora todas as oportunidades artísticas que lhe foram concedidas. Essa é que é uma das verdades. A outra, está na destruição de sua carreira pelos Animais Noturnos do PMDB do Eduardo Cunha, do Sérgio Cabral (presos pela Operação Lava Jato), do Sartori, do Eliseu Quadrilha, do Pedro Simon (que deve estar morto de vergonha), do Germano Rigotto (que governava o Rio Grande do Sul na época em que Fabiane – e também Rafaela Zanella – foram misses Brasil), do Alceu Moreira da Bancada da Bala, do Osmar Terra da Bancada do Boi, da Gabriela Markus que recebeu dinheiro da construtora OAS através da campanha do presidente ilegítimo Michel Temer, 76, e de seu ministro blindado Moreira Franco, que recebeu pasta para não ter que cair nas garras do juiz Sérgio Moro, que botou na cadeia políticos de todos os pedigrees caninos ideológicos, menos os do PSDB e Democratas.
Ao invés de ajudar Fabiane Niclotti a sair pelas vias políticas do ostracismo midiático em que se encontrava, o PMDB do Rio Grande do Sul contribuiu para a sua morte política e artística precoce aos 31 anos de idade. A ideologia de um governador incompetente que acabou com a Segurança Pública do Estado de 14 misses Brasil, aliada a uma mídia tacanha, irresponsável e sonegadora de impostos, ajudaram a sepultar os sonhos de miss que Fabiane alimentava. A incompetência do sr. José Ivo Sartori e de seu secretário pateta da (pseudo) Segurança Pública, sr. César Schirmer, que saiu da Prefeitura de Santa Maria não por causa da tragédia da boate Kiss, mas por causa do inferno que a “segurança pública” gaúcha vive, mataram Fabiane de forma tão vil, covarde e precoce. Como denota o laudo, Fabiane não morreu por armas, mas pelos remédios que tomou aos montes atormentada pelos demônios que vinham do Palácio do Planalto e da Câmara dos Deputados, sobretudo de parlamentares gaúchos integrantes das Bancadas do Boi e da Bala. Como se nota, não são apenas armas que matam uma pessoa como Fabiane Niclotti, mas palavras em seu detrimento tomadas nas sombras pela ala mais cancerígena que a política brasileira já teve em 32 anos de redemocratização. Aprendi isso das aulas de Educação Moral e Cívica que o ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), mandou confiscar das escolas de ensino médio na reforma que elaborou com o decadente ator Alexandre Frota, Animal Noturno alimentador de ração do Revoltados Online, Vem Pra Rua, Movimento Brasil Livre, Instituto Millenium, PCC, Fiesp, Febraban, Rede Globo, Deus Mercado Tom Brady, Dow Jones, The Economist, Financial Times, Intervenção Militar Já e S&P 500.
Às portas de o Tribunal Superior Eleitoral julgar a cassação da chapa Dilma-Temer, em ação proposta pelo PSDB, não dá para Fabi Niclotti descansar em paz em hipótese alguma.

Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Mondo cane, Nossas Venezuelas, Poderes ocultos, Podres poderes e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s