Presença da transmissão do Miss Universo no PNT é inédita


Cerca de 4,7 milhões de telespectadores assistiram ao concurso de 2016

Da redação TV em Análise

Richard James Mendoza/NurPhoto/Getty Images/29.01.2017


Desde que a Kantar Ibope Media decidiu tornar públicas algumas informações de audiência, em julho de 2015, é a primeira vez em 14 anos que uma transmissão do concurso de Miss Universo aparece entre os programas mais vistos da emissora que detém os direitos de TV aberta no Brasil, no caso, a Rede Bandeirantes. Desde a criação do Painel Nacional de Televisão, em 1997, é a primeira vez que uma edição do Miss Universo, neste caso, a 65ª, realizada no domingo (29), tem seus números nacionais amplamente divulgados. De acordo com dados da Kantar Ibope, 825.853 indivíduos assistiram ao certame em 15 mercados – São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Vitória, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Manaus, Brasília, Goiânia, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre, registrando média individual de 1,2. Só na porção de horário nobre, que foi das 21h55 às 22h, o concurso teve 789.850 telespectadores (1,1), o que não quer dizer nada. A transmissão do Miss Universo 2016 no Brasil, também acompanhada pelo canal pago TNT, foi até à 1h da segunda-feira (30). Cada ponto equivale a 688.211 telespectadores em 245.702 domicílios.
No alcance, o Miss Universo 2016 teve 4.679.834 telespectadores nas praças componentes do PNT (média de 6,8). Em números mais absolutos, o concurso alcançou 46.798.348 telespectadores em todo o país, mas tal número ainda carece de confirmação por parte da Kantar Ibope. O segundo dado apresentado cobre também as chamadas praças especiais, aquelas em que o instituto faz pesquisas esporádicas de medição de audiência, ainda na base da entrevista individual. A presença dos peoplemeters é restrita às praças do PNT.
Visto em 614.255 domicílios, o concurso de Miss Universo 2016 registrou média domiciliar nacional de 2,5. A praça de maior média domiciliar foi Belém (6,5), seguida de Porto Alegre (4,5). Os números detalhados estão na tabela abaixo

Posição Praça Média Espec Alcance
1 Belém 6,5 56.600 243.100
2 Porto Alegre 4,5 77.100 403.500
3 Florianópolis 3,6 17.500 100.000
4 Manaus 3,5 26.300 198.600
5 Curitiba 3,3 38.600 172.000
6 São Paulo 2,6 237.300 1.422.700
7 Campinas 2,6 22.000 149.000
8 Salvador 2,5 48.700 246.100
9 Belo Horizonte 2,1 47.600 339.500
10 Recife 2,1 40.300 308.000
11 Brasília 2,1 24.100 170.900
12 Rio de Janeiro 1,8 105.000 594.400
13 Goiânia 1,7 22.500 205.300
14 Fortaleza 1,5 17.000 160.100
15 Vitória 1,4 13.400 108.900
Praça Média Espec Alcance
PNT 2,5 825.853 4.679.834
Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Datamisses, Ibopes da vida, Nossas Venezuelas, Numb3rs, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Presença da transmissão do Miss Universo no PNT é inédita

  1. Pingback: Real times da GfK reforçam preferência maior de gaúchos que de paulistas por concursos de misses | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s