Band veta campanha da Polishop para o Miss Universo 2016


Objetivo é promover candidatura de Raíssa Santana

Da redação TV em Análise

Organização Miss Brasil Universo/Divulgação
Peça da campanha que a Band mandou sustar


A Rede Bandeirantes barrou a veiculação de uma série de anúncios que visavam promover a candidatura da candidata brasileira ao título de Miss Universo 2016, a baiana Raíssa Santana, 21, criados pela patrocinadora master do Miss Brasil, a empresa de varejo Polishop. A campanha, que conta com depoimentos de celebridades como a estilista Constanza Pascolato e a apresentadora Renata Fan, além de candidatas de outros Estados ao título de Miss Brasil 2016 já está acontecendo no Facebook oficial da detentora oficial da concessão do Miss Universo para o Brasil (@MissBrasilBeEmotion). Raíssa levou o título nacional pelo Paraná no dia 1º de outubro.
Fontes da área comercial da Band explicaram que o veto à campanha se deveu à impropriedade de tentar vincular o nome do Miss Brasil com o da disputa de Miss Universo, representada no Brasil pela emissora desde 2003. A Polishop, através da marca de cosméticos Be Emotion, apenas empresta patrocínio ao Projeto Miss da Band, não o promove. Mas ahe como se o Miss Brasil fosse sua propriedade. Nos registros da Miss Universe Organization, a concessão do Miss Universo para o Brasil pertence, no papel, ao Grupo Bandeirantes de Comunicação, não à Polishop.
Uma hashtag especial chamada #AgoraEuSouRaissa foi criada para tentar promover a preparação de Raíssa Santana nos meios de comunicação da Band, mas a campanha encontrou oposição da alta cúpula da emissora. O Miss Universo 2016, marcado para as 22h do dia 29 de janeiro, é um dos destaques da programação de verão da emissora, mas a Band, até o fechamento desta reportagem, não tinha se posicionado de forma oficial sobre o assunto. As chamadas para o Miss Universo 2016 sequer fazem parte da vertical de verão que a emissora já colocou no ar. Para piorar, a eleição de Raíssa Santana como primeira negra a ser eleita Miss Brasil depois de três décadas, foi limada da mensagem de fim de ano que a Band veicula, destacando outros fatos, como o impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, a Eurocopa da França e as Olimpíadas,
De acordo com o release oficial, a campanha “conta com um filme conceitual”, enumerando os bastidores da preparação de Raíssa para a disputa internacional, que contará com 86 candidatas. O evento vai acontecer na Mall of Asia Arena, em Pasay (região metropolitana de Manila).
As peças estão sendo supervisionadas pela diretora geral da Organização Miss Brasil Universo, Karina Ades, funcionária da Band.

Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Força da Grana, Nossas Venezuelas, Projetos especiais, Publicidade, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Band veta campanha da Polishop para o Miss Universo 2016

  1. Pingback: Para tentar alavancar audiência do Miss Universo 2016, Band coloca Raíssa Santana em quadro do Pânico | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s