Assunto da semana: Take a break, man


Semana do Critics Choice Awards foi de mera repetição do Emmy

Reuters/11.12.2016

Para economizar em pouquíssimas palavras, praticamente nada há a se dizer da 22ª cerimônia de entrega do Critics Choice Awards, realizada no último domingo (11). A movimentação em torno das indicações ao 74º Golden Globe, já na manhã seguinte, praticamente sepultou qualquer opinião minha sobre a apresentação confusa de T.J. Miller para a premiação das Associações de Críticos de Radiodifusão em Cinema e Televisão. Mal deu para pegar a conta do La La Land e suas notas musicais de amor a Los Angeles.
Levando em conta a carga que tive de apurar ainda do Miss Universo de janeiro nas Filipinas, fica cada vez mais notório que essas premiações de mid-season só servir/ao para ungir de uma vez a excelência artística dos que trabalharam na feitura da minissérie O Povo (na TV) contra O.J. Simpson: American Crime Story. Não adianta chutar gato morto que o Courney B. Vance ganha em qualquer cenário seja ele de NAACP, Globes ou SAG Awards. É pedra cantada para este quesito. Sterling K. Browm? Passe para This is Us, por favor.
Das novidades que correram a partir da summer-season (as que copntam pontos preciosíssimos para os sindicatos), Stranger Things de elenco infantil fortíssimo e Winona Ryder e The Crown são as cartas que a Netflix possui na manga. Já prestes a estrear no Brasil, a Amazon Prime Video (da loja de comércio eletrônico de mesmo nome que vende livros) usa de Transparent do premiado Jeffrey Tambor e Mozart in the Jungle do mexicano Gael García Bernal, não indicado ainda ao Emmy, como suas armas para convencer votantes.
É óbvio que os panacas da imprensa velhaca nativa vão continuar a pensar de mãos dadas que este ciclo se destina a aferir apenas tendências para o Oscar. Mentira! Este ciclo serve de caixa de ressonância também para os reflexos do Primetime Emmy (a esta altura, quase nulos) e das estreias da summer-season (casos de Stranger Things e The Night Of), bem como algumas da coalhada da fall-season, inclusive o miserê chamado Westworld. Com Rodrigo Santoro incluso. Há muito que se tecer desta fase da temporada. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (18/12))

Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Eventos, Premiações e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s