Subsecretária de Turismo das Filipinas pede que questões políticas sejam afastadas do Miss Universo 2016


Em entrevista a emissora local, Kat de Castro recomendou “distância” de petição online que pede cancelamento do concurso

Da redação TV em Análise
Com informações do site Coconuts Manila

Reprodução/Facenook/Kat De Castro-03.10.2016
Representante do DOT defendeu na TV foco mais positivo para concurso

A subsecretária do Departamento de Turismo das Filipinas (DOT, na sigla em inglês), Katherine “Kat” de Castro, disse em entrevista ao programa Balitanghali, da GMA News, que, a partir de agora, questões políticas inerentes ao 65º concurso de Miss Universo, marcado para daqui a 108 dias, na Mall od Asia Arena, em Pasay (região metropolitana de Manila) estão proibidas. O intento é evitar um estrago maior à imagem do Governo do país e à de seu presidente, Rodrigo Duterte, 71, alvo de críticas da comunidade internacional e de entidades de defesa dos direitos humanos, em função de sua política sanguinária de combate ao tráfico de drogas.
Na entrevista, Kat de Castro disse que quer que “o lado político fique fora do evento”. A despeito da petição online que inclui vencedoras filipinas do outros títulos internacionais, feministas e ex-integrantes de administrações anteriores e pede o cancelamento do Miss Universo 2016, a subsecretária defendeu um foco mais positivo na realização do certame no país, que vai cobrir 11 cidades, entre os dias 13 e 30 de janeiro de 2017.
Uma série de ataques à organização do Miss Universo 2016 nas Filipinas tem sido orquestrada através de editoriais sucessivos do Philippine Daily Inquirer, o maior do país, até esta terça-feira (11). Na quarta-feira (12), a Miss Universo 2015 Pia Wurtzbach, 27, se disse grata a Duterte pelo apoio à organização do Miss Universo 2016 no país e pediu calma aos fãs sobre os rumores plantados de cancelamento.
Até o fechamento desta matéria, a WME/IMG, empresa proprietária do Miss Universo, e a rede de televisão aberta americana FOX, responsável por prover a geração e distribuição internacional do certame ao lado da IMG e da emissora local ABS-CBN, não tinham publicado o primeiro press release conjunto com o DOT. A expectativa é de que o comunicado saia no início da próxima semana, segundo fontes.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Outras Venezuelas, Podres poderes, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s