Assunto da semana: Padrão Kojak-PSDB de qualidade


A incompetência da classificação indicativa de Lethal Weapon

FOX/Divulgação/21.09.2016

É de uma infantilidade o que foi visto no canal pago TNT na noite do domingo (9). O rebaixamento da classificação etária da série Máquina Mortífera de 14 para 12 anos, por parte do Ministério da Justiça, foi de uma idiotice tamanha à que marcou a diminuição da censura do filme de 1987, com Mel Gibson e Danny Glover, de 18 para 14 anos, em pleno governo Sarney e em época de Constituinte que discutia exatamente a morte da Censura Federal (consequência óbvia da redemocratização) e o que fazer da classificação etária.

Lula Marques/Agência PT/17.05.2016

A falta de senso e noção dos técnicos da classificação indicativa que respondem ao ministro Alexandre de Moraes, da cota do PSDB, nomeado para a pasta pelo então presidente interino Michel Temer, 75, me exime de discutir qualquer coisa acerca do enredo de Lethal Weapon, a série que a FOX conseguiu emplacar do roteirista Shane Black, 54, responsável por todos os filmes da franquia com Gibson e Glover. Na televisão, Clayne Crawford e o comediante Damon Wauans ficaram com os papéis dos detetives Roger e Martin.

FOX/Divulgação

Incompetência administrativa no Olimpop bolivariano à parte, o enredo do piloto de Lethal Weapon, a série, é mais do mesmo do primeiro filme. É papel carbono 14 diante do primeiro filme de 1987. Nem irei falar dos outros filmes, cada qual é mera extensão dos quatro filmes já realizados e o quinto em processo de gestação. Fazer Máquina Mortífera como série, com Wayans, Crawford e a ex-estrela da regravação de Dallas Jordana Brewster (American Crime Story) serve como vitrina para o próximo filme da dupla Gibson-Glover.
Com 7,8 milhões de telespectadores na apresentação de seu piloto na FOX americana, na quarta-feira, 21 de setembro, Lethal Weapon se tornou até à redação desta matéria, no início da tarde desta segunda-feira (10), a sétima estreia de maior audiência da primeira leva do ciclo da fall-season 2016. A conta ainda não incluía a estreia de American Housewife (ABC), que ocorreu na terça-feira (11). E ainda tem pela frente Man with a Plan, The Great Indoors e Pure Genius, as três da CBS, entre os dias 24 e 27. Boa semana a todos.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (16/10)

Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Atuação, Coluna da Semana, Estreias, Podres poderes, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Assunto da semana: Padrão Kojak-PSDB de qualidade

  1. Pingback: O placar das temporadas completas concedidas pelas redes abertas americanas até 17 de outubro de 2016 | TV em Análise Críticas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s