Miss Universo 2016 nas Filipinas: para que serve o Inquirer?


A mentira compulsiva de um jornalista desesperado para vender jornais às custas do sofrimento da Miss Universo 2015 e dos fãs de concursos de misses mundo afora

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Reprodução/Inquirer.net
Um jornal que parece trabalhar pelo fracasso de um concurso

A cachorrada cometida pelo jornalista Luis Carlo San Juan no jornal Philippine Daily Inquirer na manhã desta sexta-feira (7) acerca de uma suposta desistência das Filipinas em sediar o concurso Miss Universo 2016 acendeu em parte da imprensa filipina um complexo de vira-lata, de baixíssima autoestima jamais visto desde a redemocratização do país, em 25 de fevereiro de 1986, quando tropas derrubaram o ditador Ferdinando Marcos, pondo fim a 17 anos de uma das mais sangrentas ditaduras do sudeste asiático, que resultou na morte de opositores diante das câmeras para todo mundo assistir estarrecido. As sandices ditas no artigo intitulado “Miss Universo finalmente fora das Filipinas? UFC também?” beiram à mais sórdida infantilidade de grêmio escolar. Parece relato de um fracassado que não conseguiu seu intento de derrotar nas urnas o projeto de governo do presidente legítimo do país, Rodrigo Duterte, 71, apesar de pesarem contra a sua pessoa acusações de violações de direitos humanos no programa governamental de repressão ao tráfico de entorpecentes.
A mentalidade estreita e doentia de certos elementos da imprensa filipina, especializados dia e noite em desqualificar os esforços da secretária do Departamento de Turismo das Filipinas (DOT, na sigla em inglês), Wanda Corazon Teo, 63, e de sua subsecretária Katherine “Kat” de Castro beira a uma imbecilidade que só encontra par no consórcio de jornalistas da Corrente do Mal que apeou do poder a presidenta legítima do Brasil, Dilma Rousseff, 68, por umas tais de “pedaladas fiscais” inventadas pelo PSDB, pela Rede Globo e pela Fiesp para vender jornal, revista e dar audiência a seus próceres no intento Golpista de denegrir o Brasil e os brasileiros, antes, durante e depois das Olimpíadas e Paraolimpíadas do Rio de Janeiro. Na ABS-CBN (a “Globo” local), tampouco na sua principal concorrente, a GMA Network (a “Record” de lá), existem Eliana, Faustão, Luciano Huck, dentre outras almas pobres de espírito para assacarem tamanhas demonstrações de antipatriotismo e desamor ao país e amor ao próprio contracheque e a seus anunciantes, mais interessados em verem o circo pegar fogo do que no sucesso das negociações como as que o DOT vem conduzindo com a Miss Universe Organization, sediada em Nova York. Deixa esse povo trabalhar, Luis Carlo!
Nem irei perder mais meu precioso tempo desmascarando a mentira compulsiva desse cidadão que ao invés de contribuir com a divulgação do concurso Miss Universo, só a atrapalha nas Filipinas. E para as Filipinas, a 133 dias de receber o principal concurso de beleza do mundo pela terceira vez, uma postura jornalística mesquinha desse porte precisa ser respondida à altura, como já estão fazendo o DOT e a Miss Universo 2015 Pia Wurtzbach, 27, que já sinalizou em vídeo divulgado pelo próprio Inquirer a divulgação do comunicado conjunto da MUO, do DOT e da rede de televisão aberta americana FOX tratando exatamente de como se dará a transmissão do certame para os americanos e no território filipino. No arquipélago, já se fala em fazer o certame às 4h locais da madrugada da segunda-feira, 30 de janeiro de 2017, o que equivaleria às 18h do domingo, 29 de janeiro de 2017 pelo horário brasileiro de verão, o adotado em Umuarama (563 km a noroeste da Curitiba do Spotlight – Segredos Revelados da Operação Vaza Jato Seletivo para o jornal nacional da Globo), cidade que a candidata brasileira Raíssa Santana, 21, representou no Miss Paraná e depois no Miss Brasil onde acabaria eleita. E 17h do mesmo dia em Itaberaba, cidade da Chapada Diamantina localizada 288 km a oeste de Salvador da Bahia de Martha Vasconcellos, última brasileira a vencer o Miss Universo. No Estado natal de Raíssa, que trouxe o último título de Miss Universo para o Brasil, há 48 anos, em pleno arbítrio da ditadura militar, não há o horário de verão.
Diante de tanta aberração exposta na matéria do sr. Luis Carlo, fica a pergunta: para que serve mesmo o Philippine Daily Inquirer? E para que serve a imprensa velhaca?

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Ética jornalística, Outras Venezuelas, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s