Próxima rodada da Champions League pode ameaçar presença do Miss Brasil 2016 no top 10 da Band entre 26 de setembro e 2 de outubro


Preocupação é com jogos de Real Madrid e Atletico Madrid, que devem carrear mais telespectadores e público que o concurso de beleza

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Messi, Suarez e Neymar, os cavaleiros do apocalipse do “sonho de miss” da Band
Manu Fernandez/Associated Press/13.09.2016

A simples presença de dois jogos da fase de grupos da Liga dos Campeões da Europa, a UEFA Champions League, para a semana do concurso Miss Brasil 2016, de já preocupa os especialistas em televisão que esperavam do certame um retorno maior de audiência numa eventual figuração entre as 10 maiores audiências da Rede Bandeirantes para o período entre 26 de setembro e 2 de outubro. Pode esquecer: a emissora já deve estar com a grade pronta para colocar as partidas entre Borussia Dortmund x Real Madrid (27/9, terça-feira) e Atlético Madrid x Bayern (28/9, quarta-feira), ambas programadas para as 15h45 (horário de Brasília).
As duas partidas, mais os jornalísticos Brasil Urgente, Jornal da Band e Polícia 24 Horas, mais a cobertura das eleições municipais do domingo (2) devem formar a tropa de choque da audiência da Band para os 15 principais mercados de medição da empresa Kantar Ibope Media, componentes do Painel Nacional de Televisão (PNT), criado pela empresa em 1997. No ambiente da Band, também são ameaças à presença do Miss Brasil 2016 no ranking dos 10 programas mais vistos a novela turca Sila – Prisioneira do Amor (fora do top 10 liberado nesta terça-feira, 20), os humorísticos Só Risos e Pânico na Band e o reality musical X-Factor Brasil (outra ausência notada do top 10 relativo ao período entre 12 e 18 de setembro). Ou seja, o Miss Brasil 2016 sozinho não terá de depender da Grande São Paulo para ficar entre os mais vistos. Como evento especial, terá de depender (e muito) dos resultados a se apurarem em mercados chave para o certame, como Campinas e Porto Alegre, por exemplo. Nessas cidades, o certame costuma ter suas maiores médias, seguidas de Belém e Fortaleza, pesos pesados para o motor da audiência dos concursos regionais do Projeto Miss da Band funcionar. A vivência de anos na cobertura dos concursos estaduais desde 2006 atesta bem o que está se falando.
Desde a época em que estava na Rede TV! e na Record, a força midiática da Champions na tevê aberta brasileira é indiscutível. Com o sublicenciamento dado de bandeja pela Rede Globo em 2009, e antes a curtíssima parceria com o agora canal de tevê Esporte Interativo (dos americanos da Time-Warner), a Band passou a ter na Champions sua vitrina mais importante para contrabalançar com o entretenimento cambaleante e irregular de audiência. Nos anos de seca do esporte, a Band teve no Miss Brasil um de seus principais produtos de grade. Com a volta deste em 2007, os concursos de miss foram perdendo importância e audiência gradativas a ponto de gerarem-se especulações sobre uma possível volta para o SBT. A trava da Gaeta Promoções e Eventos não deixava e tal situação só piorou depois de 2011, quando a Band constituiu uma empresa de fachada para promover os concursos de misses e eventos esportivos de lucro nenhum. Vide o caso da malfadada Brasília Indy 400, que sequer saiu do papel, junto com a troca de governo – do comunista Agnelo Queiroz para o socialista Rodrigo Rollemberg, mais enrolado que pano de hospital para tentar contornar o inferno em que a capital federal se transformou. Basta ligar na TV Câmara para escutar as insatisfações de Alberto Fraga (DEM), Izalci (PSDB), Augusto Carvalho (Solidariedade) e Erika Kokay (PT).
Para orientação, a partida entre Real Madrid e Sporting de Portugal, jogada na quarta-feira (14), foi vista por 1.094.723 telespectadores (média individual de 1,6) em 915.366 domicílios (média domiciliar de 3,8), com alcance de 3.557.850 indivíduos nas praças de São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Manaus, Brasília, Goiânia, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre. Ocupou a segunda colocação do top 10, atrás apenas do Pânico (1.299.983 telespectadores, média domiciliar de 4,4, individual de 1,9 e alcance de 5.473.616 indivíduos em 1.059.998 domicílios nas praças citadas). O 7 a 0 do Barcelona sobre o Celtic teve 1.026.303 telespectadores (média individual de 1,5) em 843.101 domicílios (média de 3,5), alcançando 3.215.749 indivíduos. Números esses que, em 2004, o Miss Brasil e o Miss Universo tinham de sobra.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Esportes, Ibopes da vida, Nossas Venezuelas, Numb3rs, Projetos especiais e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Próxima rodada da Champions League pode ameaçar presença do Miss Brasil 2016 no top 10 da Band entre 26 de setembro e 2 de outubro

  1. Pingback: A menos de uma semana dos embarques das misses MS, PB e RO para São Paulo, último boletim coletivo de horário nobre de candidatas do Miss Brasil 2016 bate recorde em 15 mercados | TV em Análise Críticas

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s