Os vencedores das categorias principais do 68º Primetime Emmy, em ordem cronológica


Nas contas finais, peso das categorias técnicas fez Game of Thrones vencer 12 categorias, inclusive melhor drama

Da redação TV em Análise

American Crime Story>, que saiu das cerimônias técnicas com quatro estatuetas, terminou com nove
Chris Pizzello/Invision/Associated Press

Entre o final da tarde e o começo da noite deste domingo (18), a Academia de Televisão premiou as 27 categorias mais importantes da 68ª edição do Primetime Emmy. Acompanhando a linha do tempo, os vencedores das categorias nas áreas de série cômica, reality, minissérie ou telefilme, variedades e série dramática foram sendo conhecidos à medida que o palco do Microsoft Theatre de Los Angeles anunciava a troca de cores de um grupo de categorias para outro (por exemplo, do laranja de variedades se saiu para o cinza dos dramas).
Nas contas herdadas do Creative Arts Emmys, realizados no mesmo local no sábado (10) e domingo (11), Game of Thrones foi o programa que teve o maior benefício – saltou de nove para 12 estatuetas nos cálculos finais, que incluíram melhor série dramática, roteiro em série dramática e direção em série dramática. Com quatro estatuetas previamente recebidas do ciclo técnico, a minissérie The People v. O.J. Simpson: American Crime Story agregou as premiações de roteiro, ator coadjuvante (Sterling K. Brown, que estreia amanhã na NBC em This is Us), atriz (Sarah Paulson, também indicada como coadjuvante por uma única ponta em American Horror Story: Hotel), ator (Coutrney B. Vance, mais eloquente que na interpretação do finado advogado de defesa Joe Cochran) e minissérie (consagrando assim a excelência artística da turma liderada por Ryan Murphy, desde Glee). Também com quatro estatuetas técnicas, o teleteatro Grease: Live (no Brasil, conferir horários de reprises na Rede Telecine) agregou o trabalho de Thomas Kail e Alex Rudzinski para receber a estatueta de melhor direção em especial de variedades. A remontagem do filme de 1978 para a televisão fechou o “Oscar do horário nobre americano” com cinco estatuetas, a maior quantidade de premiações dadas para um especial no ciclo que se encerrou ontem. Abaixo, a lista detalhada de vencedores, da primeira à última categoria

Ator coadjuvante em série cômica
Louie Anderson – Baskets

Roteiro em série cômica
Aziz Ansari e Alan Yang – Master of None (Parents)

Atriz coadjuvante em série cômica
Kate McKinnon – Saturday Night Live

Direção em série cômica
Jill Soloway – Transparent (Man on the Land)

Atriz em série cômica
Julia Louis-Dreyfus – Veep

Ator em série cômica
Jeffrey Tambor – Transparent

Reality de competição
The Voice

Roteiro em minissérie ou telefilme
D.V. DeVincentis – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story (Marcia, Marcia, Marcia)

Atriz coadjuvante em minissérie ou telefilme
Regina King – American Crime

Direção em minissérie ou telefilme
Susanne Bier – The Night Manager

Ator coadjuvante em minissérie ou telefilme
Sterling K. Brown – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Atriz em minissérie ou telefilme
Sarah Paulson – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Ator em minissérie ou telefilme
Courtney B. Vance – The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Telefilme
Sherlock: The Abominable Bride (Masterpiece)

Minissérie
The People v. O.J. Simpson: American Crime Story

Roteiro em especial de variedades
Patton Oswalt – Patton Oswalt: Talking For Clapping

Série de entrevistas
Last Week Tonight with John Oliver

Direção em especial de variedades
Thomas Kail e Alex Rudzinski – Grease: Live

Série de esquetes
Key & Peele

Roteiro em série dramática
David Benioff e D.B. Weiss – Game of Thrones (Battle of thr Bastards)

Atriz coadjuvante em série dramática
Maggie Smith – Downton Abbey

Direção em série dramática
Miguel Sapochnik – Game of Thrones (Battle of the Bastards)

Ator coadjuvante em série dramática
Ben Mendelsohn – Bloodline

Ator em série dramática
Rami Malek – Mr. Robot

Atriz em série dramática
Tatiana Maslany – Orphan Black

Série cômica
Veep

Série dramática
Game of Thrones

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Especiais, Eventos, Minisséries e telefilmes, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s