Para Miss Universe Organization, realização do Miss Universo 2016 nas Filipinas não está totalmente garantida


De acordo com diretores, quantia de US$ 11 milhões para certame é “absurda”

João Eduardo Lima
Editor e criador dos blogs TV em Análise

Universal Entertainment Corporation/Divulgação (via Bloomberg)/07.08.2016


Principal obra do evento, hotel Okada Manila já é alvo de críticas

Diretores da Miss Universe Organization admitiram que a realização do concurso Miss Universo 2016, no dia 30 de janeiro de 2017, no Mall of Asia Arena, na cidade de Pasay (região metropolitana de Manila), já é vista com restrições. Um dos integrantes do corpo diretivo da MUO confidenciou ao Críticas, sob condição de anonimato, que as atitudes intempestivas do presidente das Filipinas Rodrigo Duterte, 71, tem pesado bastante para travar as negociações para o país receber o certame pela terceira vez. O Departamento de Turismo das Filipinas (DOT, ma sigla em inglês) nega que esteja causando algum tipo de mal-estar à MUO e disse estar “contribuindo para o sucesso das negociações”.
Desde que assumiu o governo, em junho, Duterte tem sido criticado por entidades de direitos humanos, entre elas a Anistia Internacional, por praticar a política do “bandido bom é bandido morto”, para exterminar traficantes de drogas com o intuito de erradicar a dependência química no país. Recentemente, Duterte causou constrangimento a duas personalidades negras americanas ilustres – o presidente Barack Obama, 55 (a quem chamou de “f.d.p.”) e o comediante Steve Harvey, 59 (a quem não considerou “bem-vindo nas Filipinas” para apresentar o Miss Universo 2016, apesar da existência de um contrato em vigor com a MUO, válido até 2023).
O silêncio da MUO em relação à sede do Miss Universo 2016 também afeta o planejamento da rede de televisão aberta FOX, que já não sabe mais o que fazer com a parceria para transmitir o certame. Uma fonte da FOX admitiu ao Criticas que a emissora “tem responsabilidades limitadas quando uma edição do Miss Universo é realizada fora dos Estados Unidos”. Geralmente, a geração do Miss Universo quando tem uma edição fora do território americano é feita por uma emissora local – no caso, a ABS-CBN, parceira da MUO desde 2011. Rumores de uma possível volta do certame à NBC também não são descartados, mas do outro lado são estritamente negados. O compromisso da FOX com a Miss Universe Organization vai até 2020.
A principal crítica dos diretores da MUO ao projeto filipino para o Miss Universo 2016 está no custo das obras da iniciativa privada para o certame. A principal, delas, o hotel Okada Manila, já é apontada como “elefante branco”, dado ao custo absurdo de construção – US$ 4 bilhões (R$ 13,26 bilhões), considerado desproporcional ao pagamento da taxa de franquia à Miss Universe Organization por parte do Comitê Organizador Filipino (PHC, na sigla em inglês). Ao PHC, quatro empresas – Philippine Airlines, Universal Entertainment Corporation, SM Group e Solar Entertainment – teriam conseguido os US$ 11 milhões (R$ 36,47 milhões) necessários para a viabilização do certame em Pasay e outras cinco cidades filipinas, que ficariam responsáveis por sediar atividades paralelas do certame. O dinheiro recebido pelo PHC deve ser repassado à MUO, mas, até o fechamento desta matéria, não se tem conhecimento se a MUO recebeu tal quantia. Não havendo pagamento, a MUO não libera press release sobre a sede do Miss Universo 2016 enquanto o Comitê Filipino não confirmar que fez todos os procedimentos requeridos para a transação se consumar. E, enquanto a MUO não liberar press release, a FOX e os missólogos de todo o mundo permanecerão de mãos atadas.

Anúncios

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Força da Grana, Jóia da coroa, Projetos especiais, Todas as Venezuelas do mundo e marcado , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s