As indicações ao 68º Primetime Emmy nas categorias de produção eletrônica


Profissionais de direção técnica do 88º Oscar travam disputa entre si

Da redação TV em Análise

Fotomontagem/CNN Money/06.04.2016


Depois de 15 anos no American Idol, Kieran apagou a luz

Uma das poucas áreas do 68º Primetime Emmy sem premiação sindical fixa, a produção eletrônica é distribuída em dois segmentos: desenho de iluminação/direção de iluminação e direção técnica/trabalho de câmera/controle de vídeo. É representada pelo pessoal que opera as máquinas de iluminação dos estúdios onde são gravados séries, minisséries, telefilmes e realities de competição, bem como por seus controladores de vídeo, operadores de câmera e, principalmente, por seus diretores técnicos, encarregados de dar o zelo visual aos olhos do telespectador no trato das produções do horário nobre americano.
No primeiro grupo de indicados de produção eletrônica, o TV em Análise Críticas apresenta a relação detalhada dos profissionais de iluminação que concorrem nas duas únicas categorias competitivas de desenho de iluminação e direção de iluminação em série de variedades e especial de variedades. Veja a relação

Desenho/direção de iluminação em série de variedades
Kieran Healy, Harry Sangmeister, George Harvey e Harrison Lippman – American Idol (Final)
Simon Miles, Matthew Cotter e Suzanne Sotelo – Dancing with the Stars (Finais – Parte 2)
Phil Hymes, Geoff Amoral e Rick McGuinness – Saturday Night Live (Apresentadoras: Tina Fey e Amy Poehler)
Robert Barnhart, Matt Firestone, Patrick Boozer e Pete Radice – So You Think You Can Dance (Final Temporada 12)
Oscar Dominguez, Samuel Barker, Daniel K. Boland, Craig Housenick e Johnny Bradley – The Voice (Episódo 917A)

Desenho/direção de iluminação em especial de variedades
Allen Branton, Patrick Woodroffe, Tom Beck, Eric Marchwinski e George Gountas – Adele Live in New York City
Al Gurdon, Travis Hagenbuch, Madigan Stehly, Will Gossett e Ryan Tanker – Grease: Live
Robert Barnhart, David Grill, Pete Radice e Jason Rudolph – Show de Intervalo do Super Bowl 50
Robert Dickinson, Robert Barnhart, Andy O’Reilly e Jon Kusner – 88º Oscar
Allen Branton, Darren Langer, Kevin Lawson, Felix Peralta, Eric Marchwinski e Kirk Miller – The Wiz Live!

Do grupo, deve se dar destaque especial ao irlandês Kieran Healy, que, por 15 temporadas, atendendo às instruções do apresentador Ryan Seacrest, 41, diminuiu as luzes para que os resultados favoráveis ou desfavoráveis a competidores do American Idol. Pelo reality musical, que foi o programa mais visto da televisão norte-americana entre 2003 e 2011, Kieran “dim the lights” obteve 12 de suas 16 indicações na carreira, a primeira delas vinda em 1987, de um especial da ABC em comemoração ao centenário da Estátua da Liberdade.
Nas categorias de direção técnica, trabalhos de câmera e controle de vídeo, o TV em Análise Críticas citará apenas os nomes dos diretores técnicos indicados, dada a alta quantidade de equipes de câmera empregadas em cada série ou especial. Controladores de vídeo também não serão citados dado o alto escopo profissional empregado. Abaixo, a lista detalhada de indicados no segmento

Direção técnica, trabalho de câmera e controle de vídeo em minissérie, telefilme ou especial
Eric Becker e Mike Anderson – 69º Tony Awards
Steve Cimino – Adele Live in New York City
Eric Becker – Grease: Live
Kenneth Shapiro, Eric Beckewr e John Pritchett – 88º Oscar
Bob Muller e Emmett Loughran – The Wiz Live!

Dos diretores técnicos de especiais que foram citados, o que tem o maior histórico de indicações é Steve Cimino, que contabiliza 10 vitórias em 31 indicações (incluída a do Adele Live in New York City), boa parte delas vinda do Saturday Night Live. Logo atrás vem Eric Becker, que contabiliza quatro vitórias em 22 indicações. Três delas foram por cerimônias de entrega do Oscar (inclusive a de 2016, pela qual concorre) e outras quatro, pelo Tony Awards (inclusive a da cerimônia de junho de 2015).
Concorrendo no escopo de diretores técnicos do 88º Oscar, Kenneth Shapiro acumula um histórico de 17 indicações e duas vitórias. Só pelo Oscar, esta é a sétima indicação de Shapiro ao Emmy. Também com 17 indicações, mas com um número maior de vitórias – quatro, aparece John Pritchett, colega de Shapiro e Becker na 88ª festa de entrega do Oscar, que a ABC transmitiu em 28 de fevereiro.
A despeito de a categoria abarcar também minisséries ou telefilmes, nenhum diretor técnico desse tipo de produção foi indicado. Mesmo assim, teleteatros como The Wiz Live! acabaram escopados erradamente no grupo de minisséries ou telefilmes. Apesar do crescimento das encenações teatrais feitas para a televisão, verificado dfesde 2012, quando a NBC decidiu reimplantar o programa de teleteatros musicais, com The Sound of Music Live!, a Academia de Televisão ainda não reconhece esse tipo de produção de forma avulsa e independente, o que afeta também áreas de atuação.

Direção técnica, trabalho de câmera e controle de vídeo em série
Charles Ciup – Dancing with the Stars (Finais – Parte 2)
Ervin D. Hurd – Jimmy Kimmel Live! (In Brooklyn)
Dave Saretsky – Last Week Tonight with John Oliver (Episódio 303)
Steven Cimino – Saturday Night Live (Apresentadora: Ariana Grande)
Equipe – The Big Bang Theory (The Celebration Experimentation)
Allan Wells – The Voice (Episódio 917A)

Dos diretores técnicos de séries, o que tem maior histórico de indicações é Alan Wells, que tem 19 (incluindo duas vitórias). Pelo The Voice, é a quarta indicação de Wells, cujo currículo contabiliza nove indicações ao Emmy pelas cerimônias de entrega do Oscar, entre 1999 e 2008. Logo atrás, vem Charles Ciup, que acumula um histórico de 10 indicações e três vitórias, todas pelo Dancibng with the Stars.
Única série roteirizada no páreo de direção técnica, trabalho de câmera e controle de vídeo, The Big Bang Theory não apresentou indicação de direção técnica, mas conseguiu a indicação de quatro operadores de câmera e um controlador de vídeo.
Os vencedores dos dois segmentos serão conhecidos na noite do domingo, 11 de setembro, no Microsoft Theatre, em Los Angeles.

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Áreas técnicas, Premiações e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s