Os 30 anos da Rede Meio Norte registrados em vídeo


Segunda emissora do Piauí nasceu edificada em Timon, no Maranhão, para integrar os dois Estados, em abril de 1985, como repetidora da Band

Da redação TV em Análise

Repropdução/Rede Meio Norte


Depoimento de técnico da emissora no documentário

No ar desde 23 de março de 1986, mas com produção local desde 11 de maio de 1987, a TV Timon, atual Rede Meio Norte definiu uma nova ordem de comunicadores para a televisão piauiense, estagnada com o monopólio da TV Rádio Clube de Teresina, que vigorava desde 1972. Nomes como Fonizete Adalto, Carlos Moraes, Carlos Feitosa, Cláudia Brandão, Maia Veloso e Silas Freire ditaram um importante legado para a comunicação do Piauí. Na sexta-feira, 1º de janeiro, a emissora lançou em seu canal do Youtube um importante registro de três partes, intitulado No Meio do Povo. As cabeças do documentário foram apresentadas pela jornalista Cíntia Lages.
Antes de chegar às atuais feições, a TV Timon atuou como repetidora da Rede Bandeirantes de 25 de abril a 21 de dezembro de 1985. A concessão pertencia a Francisco Teixeira, que deixou a emissora em 1987. Outros diretores como Francisco Carlos Jansen (morto em março de 1990 e que dá nome ao auditório da emissora) e Paulo Guimarães se sucederam. E foi no comando deste último que a Rede Meio Norte deu sua maior guinada, virando emissora independente.
Para quem não pôde acompanhar no próprio dia, através da Rede Meio Norte, o TV em Análise Críticas dá a seus leitores a chance de rememorar três décadas de uma emissora que rompeu com as convenções e cartórios das redes sediadas no eixo Rio-São Paulo e hoje é a única rede nacional de televisão sediada no Piauí, com programação 100% local desde 1º de janeiro de 2011. Assistam:

NOTA: Há problemas de áudio no terceiro e último bloco

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em História e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s