Assunto da semana: As cartas estão lançadas – parte 1


A nova ordem das indicações de drama do 68º Primetime Emmy

Peter Kramer/USA Network/30.10.2014

Estamos apenas no começo da jornada para desembalar, uma a uma, as indicações de boa parte das 113 categorias competitivas do 68º Primetime Emmy. É uma tarefa mais complexa do que decifrar os códigos mentais do hacker de Mr. Robot, que isolada e avulsamente, angariou suas cinco primeiras indicações. Como produção, impressiona tanto a elite intelectual quanto a massa de telespectadores que acompanhou sua primeira temporada pela Rede Record da Abertura do Mar Vermelho que a Globo não fez. A despeito do Projac.

Fotos FX e AMC/Divulgação

O resto dos concorrentes de Mr. Robot a melhor série dramática nem de longe é debutante. Para ilustrar um caso, The Americans, estreante como produção, vinha obtendo indicações técnicas desde 2013, brecando chances para seus protagonistas – ver mais à frente nos textos de ator em série dramática e atriz em série dramática. Better Call Saul igualou as mesmas sete indicações do ano passado, isso se levando em conta a quantidade de acolhidas e não as categorias a que concorre. Alguma peça do tabuleiro pode ter sido trocada.

Nick Briggs/Carnival Films/06.03.2016

Ainda se atendo às produções, Downton Abbey encerrou sua jornada nos Primetime Emmys com 69 indicações acumuladas desde 2011, quando a PBS comprou a trama da inglesa ITV como parte do projeto Masterpiece. A partir da terceira temporada, Abbey, cá exibida em dois canais da Globosat, abandonou a bandeira do Masterpiece no “Oscar do horário nobre americano” e recebeu luz própria da rede pública. Só para este ano, Abbey recebeu outras nove indicações, fora a de produção. Fechou a conta com 10 indicações.

Fotos HBO, Showtime e Netflix/Divulgação

Antepenúltima bolacha do saco comido por Anthony Anderson e Lauren Graham no Teatro Wolf do novíssimo Saban Media Center, Game of Thrones nada mais tem a acrescentar além da liderança do quadro de indicados, com 23 itens. Não os da cesta básica do Temer. Homeland, com quatro indicações, deve ser passada para a área de atriz em série dramática. Tratar com a Sra. Claire Danes em horário comercial. Por fim, House of Cards é mais do mesmo do mesmo. Suas 13 indicações puxaram o coro da Netflix. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (17/7)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s