Assunto da semana: Fogo britânico no caso O.J. Simpson


A lógica dos canais pagos no 68º Primetime Emmy de minissérie

Cook Allender/ABC/Divulgação/18.06.2015

Não há o que discutir: está em canais como HBO, Lifetime/A&E/History, Spike TV, Nat Geo e até mesmo o Comedy Central o naco da representatividade das 26 submissões ao 68º Primetime Emmy na categoria de melhor minissérie. Como já colocado na semana passada, as limitações das redes abertas reduziram suas submissões nessa categoria a um sunabão de quatro produções. Juntas, Heroes Reborn, The Astronaut Wives Club, Madoff e American Crime representam a dupla Nada & Coisa Nenhuma. Nada acrescentam à disputa.

Fotos Russ Martin/Hulu e ITV Studios/Divulgação

Na contramão desse peso morto, serviços de streaming como Amazon, Hulu e Netflix (este último com duas aquisições da BBC inglesa) apostam em produções de maior impacto como 11/22/63, a enésima tentativa de se revirar o caso do assassinato do presidente Kennedy, encoberto das mais absurdas teorias de conspiração, Cuba do programa Mais Médicos inclusa. Ainda entre as produções históricas, Doctor Thorne, da inglesa ITV (aquisição Amazon) também se destaca. Passou no Brasil no Paramount Channel.

FX/Divulgação

Entrando no saco dos canais pagos, The People v. O.J. Simpson: American Crime Story, apesar do nome comprido, é a principal aposta em se tratando de reconstituição de época. Óbvio que com Thorne na dianteira, terá uma disputa dificílima na obtenção de uma das cinco vagas de indicação, a se conhecerem no início da tarde (pelo horário de Teresina) do dia 14 de julho. Do grupo da HBO (que também inclui aquisições de emissoras inglesas), Show Me a Hero, egressa de indicações de premiações da mid-season, é o principal destaque.

IFC/Divulgação

Da turma dos canais pagos independentes, destacam-se tanto produções originais como The Spoils Before Dying quanto aquisições a granel feitas pela Sundance TV. Na AMC, que agarrou notoriedade em 2008 com as já encerradas Breaking Bad e Mad Men, o único destaque é The Night Manager, outra coprodução com a BBC. Em tempos de saída do Reino Unido da União Europeia, a demanda de submissões de coproduções desse país com canais americanos para o Primetime Emmy deve dar querosene a outros debates. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (3/7)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Minisséries e telefilmes, Premiações e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s