Assunto da semana: Os últimos caras da terra de Marlboro


A vantagem dos canais pagos no 68º Primetime Emmy de comédia

Captura de tela/HBO/24.04.2016

A julgar pela malha de títulos, as programadoras americanas de televisão por assinatura tem 45 motivos para festejarem a liderança no quadro de submissões ao 68º Primetime Emmy na categoria de melhor série cômica. Antes vistas como terror das redes abertas na hora da distribuição das relações de indicados, as produções de comédia dos canais pagos passaram a ter uma importância maior a partir da vitória de Veep, da HBO, na premiação do ano passado. Quebrou um paradigma que pertencia a Modern Family.

Fotos Amazon Video/Divulgação

A importância dos canais tipo HBO e Showtime nesse segmento, a exemplo do que tem acontecido com os dramas desde o fim de The Sopranos, em 2007, deve levar os mais de 20 mil eleitores da Academia de Televisão a reverem suas pautas de votação para decidir os sete indicados de comédia a se conhecerem na manhã da quinta-feira, 14 de julho. Os tempos (e a pauta) são de Transparent, Mozart in the Jungle e outras produções menos cotadas dos quatro serviços de streaming presentes nesta fase- Sesso, Amazon, Hulu e Netflix.

Darren Michaels/CBS/Divulgação/07.01.2016

Da coalhada de 96 submissões, a turma do streaming conseguiu abiscoitar a aceitação de 20 submissões para o 68º Primetime Emmy de melhor série cômica. É uma folga que, desde já, assusta a turma das redes abertas, que dadas às suas limitações de grade, esperava colocar mais trabalhos, não fossem as decisões erradas adotadas ao curso da temporada 2015-2016 – séries sendo canceladas por queda de público ou que não corresponderam às expectativas de excelência artística. A decepção de Angel from Hell foi um recado claro a essa turma.

Kevin Estrada/FOX/Divulgação/13.03.2016

Com 31 submissões, as cinco principais redes abertas americanas mais a pública PBS (que o Obama não vai fechar, ao contrário do Temerário da EBC), ainda assim, conseguem imprimir uma gama variada de opções as quais correm sério risco de bater na trave na hora do anúncio das indicações. Não estou puxando torcida contra sitcom A ou B. Mas a única salvação deste segmento reside em The Last Man on Earth. O resto não passa de conversa mole de premiações de mid-season, que parecem não refletir o que vem à frente. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (26/6)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s