Assunto da semana: Ideia para America Ferrera vender na olimpíada do Rio


Superstore vai ter de precisar de uma boa escada promocional

Brandon Hickman/NBC/Divulgação/30.11.2015

Não se trata de provocação, mas é uma lamentável constatação. Colocada pela NBC no upfront da temporada passada para servir de tapa buracos do The Voice nas exibições de terça-feira, Superstore (Warner, 2ª, 20h, 12 anos) chega à tevê paga brasileira assolada pelo mesmo mal que prejudicou sua estreia americana, em 30 de novembro: nenhuma promoção, nada de chamadas, tampouco de ações de marketing. Foi tudo escanteado para a sitcom ser renovada para sua segunda temporada. E fazer parte do fardo olímpico da NBC no Rio.

Trae Patton/NBC/Divulgação/30.11.2015

Da lavra de Justin Spitzer, o enredo de Superstore não desagrada, mas peca pela desatenção em divertir o telespectador que está ocupado com outras coisas. A atuação de America Ferrera, 32, sem os óculos da época de Ugly Betty, não deixa nada a desejar. Nas mãos dela, a produção executiva de uma sitcom esquecida pelo público americano mais preocupado à época da sua estreia com compras de Natal e lotar as superstores e shoppings não é capaz de dar um gancho logo no início. Mas a Olimpíada vai dar uma ajudinha.

Trae Patton/NBC/Divulgação/30.11.2015

Esquecida pelo ciclo de premiações da mid-season (de prazos mais rigorosos que a cantilena dessa Comissão Especial do Golpe do Impeachment), Superstore deve ter alguma esperança de indicação no 68º Primetime Emmy, descontadas indicações que aparecerem em premiações prévias de sindicatos e associações de críticos de televisão. Estas entidades, para julgarem o andamento de Superstore, não passam de peso morto de caminhão. Atrapalham qualquer pensata que possa se fazer a partir desta crítica. Travam o senso da excelência.

Trae Patton/NBC/Divulgação/30.11.2015

Para uma mente que já assinou episódios da adaptação americana de The Office, conferir liga ao enredo de Superstore não é apenas uma responsabilidade: é uma obrigação de tentar angariar mais telespectadores no planejamento que a NBC lançou na tarde do domingo, 15 de maio. Mas que pode ser alterado, como se sabe, ao sabor amargo das conveniências do comportamento dos anunciantes e do público de horário nobre das cinco grandes redes abertas americanas na fall-season 2016. Basta os Jogos passarem. Até domingo.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (12/6)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Séries e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s