Assunto da semana: Minha fé me leva até…


Kesha e os filmes de Nossa Senhora no Billboard Music Awards 2016

Kevin Winter/Getty Images/22.05.2016

O gesto canônico da cantora e compositora Kesha Sebert, 29, no reino das palavras de Bob Dylan, 75, após cantar It Ain’t Me Babe na sua performance na 23ª edição do Billboard Music Awards, realizada no último domingo (22), na novíssima T-Mobile Arena, em Las Vegas, remeteu imediatamente a um aparte do senador mato-grossense José Medeiros (PSD), três dias antes de a Câmara dos Deputados chancelar o Golpe contra a presidenta Dilma. A bênção de cumprimento ao público seria pura Letícia Sabatella, na pensata desse senhor.

Kevin Winter/Getty Images/22.05.2016

Tirada do raciocínio de Medeiros a um discurso do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), a linha de Kesha, outrora excêntrica, parecer uma santa dos filmes de Nossa Senhora Aparecida parece verdadeira. Tão verdadeira a ponto de reduzir a homenagem da Madonna a Prince com a capela de Stevie Wonder parecer coisa de culto dominical. Com toda a razão. As bênçãos de Kesha a Dylan salvaram o domingo de horrores da televisão brasileira, pontuado pelas lágrimas de Ana Hickmann na Record e o irrelevante Troféu Imprensa, do SBT.

Jeff Kravitz/BBMA2016/FilmMagic/22.05.2016

Mesmo sem pegar as informações de quem dirigiu a transmissão da ABC, dá para se depreender que a companhia produtora Dick Clark acertou na concepção do show do Billvoard Music Awards 2016 na sua essência. Formada por quatro produtores executivos, o cérebro da produção da última grande premiação da temporada televisiva americana 2015-2016 fez outro tento importante ao colocar o BBMA no patamar do Oscar, Grammy, Primetime Emmy e Golden Globes: mostrar tudo ao vivo, de costa a costa do território americano. Valeu.

Kevin Winter/Getty Images/22.05.2016


Ficaremos devendo a foto da Priyanka. Obrigada!

Fora o “momento Letícia Sabatella” de Kesha (rememorando o gesto palaciano de artistas pró-Dilma captado por câmaras de tevê), a 23ª edição do Billboard Music Awards se marcou também pelo policiamento aos palavrões – apenas um foi desferido por Rihanna, de leve, ao cantar um R&B desproposital. Da calha de apresentadoras de categorias ou atos musicais, convém destacar a candura de Priyanka Chopra, importação indiana que deu certo na dramaturgia policial de Quantico. Repetiu a classe do último Oscar. Até domingo.

Puvlicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (29/5)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Canta USA, Coluna da Semana, Eventos, Premiações e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s