Assunto da semana: Laura Prepon, paneleiros revoltados online e o Mineiratzen do 67º Primetime Emmy


Conversa de diversidade no 22º SAG Awards é microcefalia de mau jornalista

Vince Bucci/Invision/AP/30.01.2016

Os idiotas que compartilharam do discurso da atriz Laura Prepon, 35, na aceitação do prêmio de melhor conjunto de elenco em série cômica por Orange is the New Black no 22º Screen Actors Guild Awards, realizado na noite do sábado (30), no auditório Shrine, em Los Angeles, acharam que ela estava falando sobre a diversidade. Conversa! Prepon, no fundo, usou esse discurso para dar um recado indireto ao presidente da Academia de Televisão, Bruce Rosenblum, que editara para o 67º Primetime Emmy regras absurdas contra Orange.

Fotos Wikimedia Commons e Jessica Miglio/Netflix/Divulgação/15.08.2013

Qualquer pessoa de bom senso deve saber que, em março do ano passado, a ATAS determinara que toda série com uma hora de duração (caso de Orange) concorresse automaticamente ou fosse submetida na área de drama. O Netflix, serviço de streaming que distribui a trama à sua base de assinantes mundo afora (menos na Nigéria dos pais de Uzo Aduba, 34), e os produtores da trama entraram com recurso junto à ATAS para corrigir a aberração. Orange is the New Black é comédia e não drama. E isso Rosenblum não engoliu.

John Locher/Associated Press/20.12.2015

Se a microcefalia de certos jornalistas e órgãos de imprensa entendesse direito a essência do que Prepon estava dizendo no SAG Awards cá transmitido pelos canais pagos TNT e TBS (os mesmos da geração americana), não estaria escamoteando para debaixo do tapete o recado dado a Rosenblum, que preferiu acatar recursos das equipes de Jane the Virgin e Shameless e colocar OITNB na mesma laia de Homeland, Game of Thrones ou The Affair. Foi um erro mais grotesco que a lambança de Steve Harvey no Miss Universo 2015.

Fotos Kevin Winter/Getty Images/15.07.2015 e Paulo Lopes/Futura Press/03.02.2016

Em tempos de alerta presidencial sobre a importância de agirmos no combate ao aedes aegypti regado a panelaço de imbecis e idiotas à beira mar do Balneário Camboriú e da praia de Copacabana, o discurso de Laura Prepon no 22º SAG Awards não deve ser interpretado como papeleta de mensagens da falsária Caitlyn (ex-Bruce) Jenner para dar ração animal a idiotas do PSDB e do Partido Republicano. Mas de alertar a Academia do Primetime Emmy de que Orange is the New Black é comédia e não drama. Boa semana a todos.

Publicação simultânea com o caderno Notícia da TV do Jornal Meio Norte que circula no domingo (7/2)

Sobre João Lima

Crítico de entretenimento desde 2001, João Eduardo Lima escreve no Jornal Meio Norte. Foi repórter de Regional, Polícia e Nacional. Em 2005, entrou no mundo da blogosfera independente com o pioneiro TV em Análise. Suas postagens sobre os bastidores do Miss Brasil-Miss Universo mostraram ao público um lado dos concursos de beleza que os organizadores não querem que você saiba. E, ainda por cima, querem, na base da mordaça, impedir você, leitor, contribuinte e pagador de impostos, de saber o que está por trás do manto vermelho da missologia nacional.
Esse post foi publicado em Coluna da Semana, Eventos, Premiações, Séries e marcado , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s